sexta-feira, 19 de julho de 2019

Sul do Piauí terá reforço no escoamento da produção agrícola


A Caixa Econômica Federal liberou ao Governo do Piauí, no último dia 08, a segunda parcela do empréstimo do Finisa, no valor de R$ 293 milhões. Com os recursos, segundo divulgou o Governo do Estado, serão retomadas mais de 400 obras em todo o estado, incluindo no extremo Sul do Piauí: asfaltamento da PI-255, entre Curimatá e Avelino Lopes; recapeamento da PI-280 - entroncamento da BR-135 com Barreiras do Piauí; asfaltamento da PI-392, que interliga Bom Jesus, Currais, Serra do Uruçuí e Baixa Grande do Ribeiro; asfaltamento da PI-395, entre Palmeira do Piauí e Sebastião Leal (Transcerrado) e asfaltamento da rodovia PI-141, trecho: Colônia do Gurgueia/Entroncamento com a PI-397 (Transcerrado).
O Governo do Piauí calcula que 7,5 mil empregos diretos serão gerados nos próximos meses com a retomada das obras em 158 municípios.
Obras que serão retomadas no sul do Piauí
- Território Chapada das Mangabeiras
PI-255 Entre Curimatá e Avelino Lopes
PI-280 entroncamento BR-135 / Barreiras do Piauí
PI-392 Bom Jesus /Currais / Serra do Uruçuí / Baixa Grande do Ribeiro - Subtrecho: Estaca 10807 - Baixa Grande do Ribeiro.
- Território Tabuleiros do Alto Parnaíba
PI-397 - Transcerrados:  1ª Etapa - Sebastião Leal / Entroncamento para Palmeira do PI
Rodovia PI-141, trecho: Colônia do Gurgueia/Entronc. PI-397(Transcerrado)
Ccom

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Piauí: focos de queimada em julho aumentaram 407% em relação a junho



Aumento da temperatura, queda da umidade do ar e intensificação dos ventos. É este o cenário observado no Piauí ao longo do último mês, desde o final do período chuvoso, e isso tem contribuído para o acréscimo considerável nos casos de queimada em vegetação. Em um mês, o número de focos de fogo em área verde dentro do território piauiense subiu 407%, saltando de 67 em maio para 340 em junho. Para efeito de comparação, este total é 13 vezes maior que o registrado em abril (mês em que o Piauí contabilizou somente 25 focos).
Temperatura mais elevada, baixa umidade e ventos fortes tornam ambiente propício para queimadas (Fotos: Jailson Soares / O DIA)
Observando-se a quantidade de ocorrências diárias, foi como se o Piauí tivesse registrado, em média, 11 queimadas por dia ao longo do mês passado. E este número vem se mantendo estável. É que agora em julho o estado já contabiliza 81 focos – 24% do total de junho – com uma média de nove ocorrências por dia. 
Os dados são do monitoramento por satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e revelam ainda que de janeiro a junho de 2019 o Piauí já soma 709 focos de queimada em seu território. Embora haja uma redução de 10% em relação ao número do mesmo período de 2018 (787 focos), ele já equivale a 62% a mais que o total de queimadas registradas em território estadual em 2017 (473 naquele ano).
A situação é considerada tão preocupante, que só de sexta-feira (05) até hoje, o Inpe já identificou no Piauí 33 ocorrências de fogo em vegetação no Estado, sendo que 21 foram localizadas apenas no dia de ontem e as demais ao longo do final de semana. Comparando-se com os outros estados brasileiros, o Piauí foi o quinto estado com o maior número de focos de queimada nesta terça-feira (09), permanecendo atrás somente do Maranhão, com 27; de Minas Gerais, com 42; do Tocantins, com 48; e do Mato Grosso, com 76 focos.
Apesar da situação, o Piauí não possui nenhum município entre os brasileiros com mais focos de queimada acumulados este ano. Mato Grosso e Roraima é que são as unidades federativas mais preocupantes, segundo o que aponta o Inpe. No entanto, o estado e de alerta, uma vez que, excetuando-se o litoral a região de Teresina, todo o restante do território encontra-se sob risco de fogo.
Defesa Civil alerta
Diante do cenário propício para a ocorrência de queimadas e a propagação de fogo, a Defesa Civil de Teresina orienta a população para que não ateie fogo para limpar terrenos baldios e afins, porque as chamas tendem a sair facilmente de controle. “Desmistificamos a questão da queimada controlada, porque queimada é justamente quando o fogo foge do controle do homem e vira incêndio em vegetação. O que recomendamos à população é fracionar o material de limpeza de poda em pequenas partes e queimar em horário certo”, explica o tenente Sebastião Domingos, coordenador da Defesa Civil Municipal.
Em caso de fogo em vegetação, a população pode entrar em contato com a Defesa Civil Municipal por meio de ligação gratuita para o número 153. Além do 153, a população pode solicitar previamente um atendimento à Defesa Civil de Teresina também, via ofício, na sede da Semcaspi (Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas), que fica na rua Álvaro Mendes, 861, no Centro. Mais informações, pelo telefone (86) 3215-7485.

Fonte: Portal O Dia

sexta-feira, 28 de junho de 2019

BR-135 já registrou 19 mortes neste ano e alargamento segue inconcluso


A BR-135, a chamada "Rodovia da Morte" no Piauí, já registrou 19 mortes em 2019, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal. O acidente com morte mais recente ocorreu nesta quinta (27) no  KM 504 no município de Monte Alegre do Piauí, com três óbtidos. Dentre as vítimas, um adolescente de 14 anos.
  • Segundo a PRF, entre os dias 01/01/2019 a 24/06/2019, foram 27 acidentes, 28 feridos e 16 mortos. 
     
  • No ano de 2018, no período entre 01/01/2019 a 30/06/2019, foram 24 acidentes graves, 15 feridos graves e 19 mortos. 
     
  • Ao todo, no ano de 2018, a PRF registrou (entre 01/01/2018 a 31/12/2018) 41 acidentes graves, 29 feridos graves e 28 mortos. 

Os moradores da região denunciam constantemente que os acidentes ocorrem devido a precária estrutura da pista, além, é claro, da imprudência de alguns motoristas. Uma campanha intitulada SOS BR-135 foi iniciada pedindo, principalmente, o alargamento da rodovia. As cidades cortadas pela  BR-135 possuem núcleos diferentes para acompanhar as obras. 
Um dos articulistas da campanha "SOS BR-135", Nadilson Santos, informou ao Cidadeverde.com que essa rodovia vai de Eliseu Martins até Barreiras do Piauí, depois de Corrente. Ele coordena os núcleos de Cristino Castro e Bom Jesus. 

"Ela já está alargada de Elizeu Martins até uns 30 km para chegar em Cristino Castro. Nesse ponto, a obra deu uma parada e pulou para Bom Jesus, e estão alargamento de Bom Jesus a Cristino Castro, que falta cerca de 10 km. Esse percurso de Cristino Castro a Bom Jesus, nós vamos inaugurar, que são 36km e tinham vários acidentes", disse Nadilson.

O morador acredita que quando for finalizada a obra de Bom Jesus a Cristino Castro, a parte que falta, cerca de 30 km, entre Cristino Castro em direção a Elizeu Martins, será concluída. 
Manifestação
Fundador do Movimento SOS BR 315, o comerciante Marcelo Soares, conta que a realidade em seu núcleo é outra, bem diferente, na região de Corrente. Sem sinal de alargamento, ele conta que os moradores prometem fazer uma nova manifestação e interromper o fluxo de veículos, com o objetivo das obras serem iniciadas. "Infelizmente, o trecho principal e que deu origem ao movimento, devido o número excessivo de acidentes, continua quase que na mesma situação", diz Marcelo.
"O trecho entre Bom Jesus e a divisa Piauí com a Bahia, no município de Cristalândia, foram feitos apenas obras emergenciais em trechos específicos, que resultou em uma redução no número de acidentes. No entanto,tem ocorrido diversos acidentes porque o problema não foi resolvido, apenas com as obras definitivas no trecho especificado haverá segurança para se trafegar neste trecho da BR-135, onde ainda existem diversos problema críticos".
Imprudência

O inspetor da PRF, Clovis Cendon, ressaltou que a maior causa de acidentes com vítimas na BR-135 é ligado diretamente à imprudência dos motoristas. "E cerca de 70% dos óbitos registrados na BR-135 tem motociclistas e passageiros de motos envolvidos, que na grande maioria não possuem habilitação e, ainda, não utilizam nenhum tipo de EPI (equipamento de proteção individual)", destacou o inspetor. 


Fonte: CidadeVerde

terça-feira, 25 de junho de 2019

Família procura caminhoneiro desaparecido


Leido  Rezende,  caminhoneiro desaparecido  

A família do caminhoneiro Leido Rezende Martins está a procura de informações do paradeiro do mesmo, Leido foi visto pela última vez na cidade de Gilbués-PI, no sábado (22), em uma oficina mecânica. Quem souber de alguma informação sobre Leido, favor entrar em contato nos fones: (62) 98541-3560, 98445-1012, 99700-9247.



segunda-feira, 24 de junho de 2019

'Pente-fino' cancelou mais de 80% dos auxílios-doença periciados no PI


Em 2018, foram periciados 7.009 auxílios-doença no Piauí. O resultado comprovou a necessidade de revisão dos benefícios: apenas 1.327 continuaram ativos após serem reavaliados.  
Os números mostram, portanto, que apenas 19% dos 7.009 benefícios de auxílio-doença que passaram por revisão permaneceram sendo pagos. 
Além desses, outros 741 beneficiários ficaram sem receber porque não compareceram ao INSS após serem convocados.
Os dados foram disponibilizados à Coluna Economia & Negócios, do Cidadeverde.com, pela Secretaria da Previdência, do Ministério da Economia. 
A revisão também foi feita nas aposentadorias por invalidez. Foram realizadas, no Piauí, 10.418 perícias durante o ano passado. Dessas, 3.514 foram cessadas por algum tipo de irregularidade. Ou seja, 34% das aposentadorias por invalidez estavam irregulares.
Outras 360 também deixaram de ser pagas porque os beneficiários não compareceram. 
A lei que prevê a revisão periódica dos auxílios-doenças e das aposentadorias por invalidez é de 1995, mas não era cumprida por falta de pessoal e regras mais definidas, como a periodicidade específica, por exemplo.
Em 2017, foi publicada a lei do chamado "pente-fino", determinando que o perito fixe um prazo estimado de duração do benefício no momento da concessão ou reativação do auxílio-doença. Além disso, estipulava um bônus de R$ 60 aos médicos peritos por atendimento realizado dentro do processo de revisão, quando a perícia fosse feita fora do horário normal de trabalho.
Foi dentro dessa lei que foram realizadas essas perícias no Piauí em 2018. A Secretaria da Previdência não revelou o quanto é economizado no Estado com o cancelamento desses benefícios, mas detalhou os dados:
Nova lei de combate à fraude
A previsão é que mais benefícios sejam suspensos neste ano, com a sanção de uma nova lei de combate a fraudes no INSS, que inclui outros benefícios, como o auxílio-reclusão e a pensão por morte. Com a nova lei, o governo federal espera economizar R$ 10 bilhões em 12 meses, com a revisão de 5,5 milhões de benefícios previdenciários.Veja quais as principais mudanças nos benefícios:
Auxílio-reclusão
O benefício, que é pago a dependentes de presos, passou a ter carência (prazo mínimo) de 24 contribuições para ser requerido. Antes, bastava que o segurado tenha feito uma única contribuição ao INSS antes de ser preso. Além disso, só será concedido a dependentes de presos em regime fechado. Pela lei, a comprovação de baixa renda levará em conta a média dos 12 últimos salários do segurado e não apenas a do último mês antes da prisão, o que deve alterar o valor do benefício pago. 
Pensão por morte
A nova lei passou a exigir prova documental para a comprovação de relações de união estável ou de dependência econômica. Atualmente, a Justiça reconhece relações desse tipo com base apenas em prova testemunhal. Para o recebimento desde a data do óbito, filhos menores de 16 anos precisarão requerer o benefício em até 180 dias após o falecimento do segurado. Pela regra em vigor, esse prazo não existe para menores de 16 anos.
A lei também acabou com pagamentos em duplicidade, nos casos em que a Justiça reconheça um novo dependente, como filho ou cônjuge. Pela legislação atual, se uma relação de dependência é reconhecida, esse novo dependente recebe o benefício de forma retroativa, sem que haja desconto ou devolução de valores por parte dos demais beneficiários. A partir de agora, assim que a ação judicial de reconhecimento de paternidade ou condição de companheiro for ajuizada, parte do benefício ficará retida até o julgamento final da ação, de modo a cobrir a eventual despesa do INSS com pagamentos em duplicidade. Esses ajustes valerão também para o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) da União.
Aposentadoria rural
A lei prevê a criação de um cadastro de segurados especiais, que inclui quem tem direito à aposentadoria rural. Esse documento é o que vai alimentar o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), que passará a ser a única forma de comprovar o tempo de trabalho rural sem contribuição a partir de 2020.
Para o período anterior a 2020, a forma de comprovação passa a ser uma autodeclaração do trabalhador rural, homologada pelas entidades do Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária (Pronater), ligado ao Ministério da Agricultura. A autodeclaração homologada será analisada pelo INSS que, em caso de irregularidade, poderá exigir outros documentos previstos em lei. 
BPC
Também serão alvo da revisão os mais de 2,5 milhões de benefícios de prestação continuada (BPC) sem avaliação pericial há mais de dois anos. 
Os bancos agora estão obrigados a devolver valores referentes a benefícios depositados após o óbito do beneficiário. Os cartórios de registro também deverão informar, em até 24 horas, a expedição de uma certidão de óbito. Antes, esse prazo era de até 60 dias, o que fazia com que aposentadoria de uma pessoa falecida continuasse sendo paga.

Fonte: CidadeVerde