segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Sem sementes, Piauí corre risco de colapso na agricultura

Sob o risco de colapso na economia agrícola do Estado, o governo vai ter que cortar recursos de várias secretarias para tentar adquirir sementes para a distribuição de forma emergencial. O secretário de Administração, Francisco José da Silva, o Franzé, disse que já alertou o governador Wellington Dias, informando que a falta de sementes causará um colapso não apenas na agricultura, mas também na economia do Piauí.

O governo do Estado vai ter que remanejar recursos de vários órgãos para adquirir sementes para a distribuição junto aos agricultores familiares. A Secretaria de Desenvolvimento Rural não tem recursos e nem sementes para a distribuição. O futuro secretário da pasta, Francisco Limma, recorreu ao governador Wellington Dias para liberação de recursos para esta finalidade.

De acordo com o secretário de Administração, a demanda por sementes começaram com as chuvas, mas a SDR não tem dinheiro e nem sementes, mas tem recursos em Brasília, especialmente para as aquisição de sementes. Mas o Estado não pode acessar devido a inadimplência junto ao Cadastro Único de Convênios (CAUC). E a secretaria de Desenvolvimento Rural não está em situação de emergência, pelo decreto que o governador editou no inicio do ano.

“O dinheiro de Brasília não pode ser liberado por causa do CAUC. Mas, mesmo se estivesse em emergência, não poderia usar estes recursos. O caboclo já limpou a roça, mas não tem sementes. A economia agrícola do estado está em jogo. Não é apenas a agricultura familiar que depende destas sementes, a grandes empresas, a monocultura, também usa estas sementes.”, advertiu Franzé.

O governo vai ter que comprar as sementes, neste primeiro momento, com recursos do tesouro para suprir a carência, principalmente dos agricultores familiares. “O dinheiro que iria para saúde, para hospitais ou compra de medicamentos; o dinheiro quer iria para a segurança, para aquisição de viaturas e armamentos, vamos ter que usar parte dele para comprar semente para não comprometer a agricultura do Estado.”, adiantou Franzé.


Fonte: Portal AZ