segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Após morte de policial, governador irá antecipar as medidas de segurança

Wellington Dias, governador do Piauí
O governador Wellington Dias (PT) e o comandante-geral da Polícia Militar do Piauí, coronel Carlos Augusto Gomes de Sousa, anunciam amanhã as primeiras ações do plano emergencial de segurança pública para combater o aumento da criminalidade em Teresina e nos principais municípios do estado. O plano prevê ações integradas das polícias Militar e Civil com tropas das forças nacionais, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.
Na prática, o governo do Estado quer aumentar o policiamento ostensivo nas ruas, com maior circulação de homens em viaturas e motos e instalação de pelotões de Polícia nos bairros, para ampliar a vigilância e intimidar a ação dos bandidos. Entre as primeiras ações a serem anunciadas amanhã, está instalação de pelotões nos bairros e vilas da periferia e o reposicionamento de policiais militares nas ruas de Teresina. Os pelotões serão instalados na Vila da Paz (zona Sul), São Joaquim (no Parque Lagoas dos Norte) e na Santa Maria da Codipi, zona Norte.
O plano integrado de segurança pública foi acertado pelo governador com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, no início do mês passado. O governo do Estado vai receber homens da Força Nacional de Segurança, viaturas e equipamentos. Wellington Dias decidiu antecipar o anúncio das primeiras medidas do plano emergencial como resposta ao assassinato do cabo PM Francisco das Chagas Nunes, segurança pessoal dos filhos do governador e da primeira-dama, deputada federal Rejane Dias (PT).
O Cabo Nunes foi morto com um tiro na cabeça na noite de sexta-feira, quando deixava Vinícius Dias, filho do governador, em uma casa na zona Leste. Os quatro acusados foram detidos, três são menores de idade. O anúncio das medidas amanhã foi acertado ontem por Wellington Dias em contato telefônico com o comandante Carlos Augusto.
O governador disse, durante o velório do Cabo Nunes, que a violência no Piauí chegou a níveis inaceitáveis. "A violência, infelizmente, se tornou uma doença nos últimos anos e precisa ser combatida com muito rigor", disse ele.
Hoje, às 11 horas, o delegado geral de Polícia Civil, Riedel Batista, concede entrevista coletiva para falar sobre a morte de Cabo Nunes e as medidas que foram adotadas pela Polícia para prender os acusados. O autor confesso do disparo que matou o Cabo Nunes, o desempregado Wellington Bruno Pereira Santos, foi preso e encaminhado ontem para a Casa de Custódia de Teresina. Ele é o único de maior do grupo - acabou de completar 18 anos
Fonte: Com informações do Diário do Povo