terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Prefeito de Curimatá é cassado pela 2ª vez; vice do PDT assumirá prefeitura

Reidan Kleber, prefeito de Curimatá
A Câmara Municipal de Curimatá cassou o prefeito Reidan Kleber Maia de Oliveira (PMDB) após investigar denúncias de irregularidades em Comissão Processante instalada em novembro do ano passado. O prefeito, que pela segunda vez é afastado do cargo, é acusado de fraudes na locação de veículos e nos serviços de limpeza pública. “Houve fraude no processo de licitação onde o prefeito beneficiou parente, além de superfaturamento na locação de máquinas pesadas e pagamentos ilegais para uma vaquejada no valor de R$ 82 mil”, disse o presidente da Câmara, vereador Benedito Vogado Guerra (PR). A cassação foi aprovada durante sessão realizada às 17 h desta segunda-feira (9). Foram registrados seis votos a favor da cassação – dos oito vereadores existentes – dois contra e uma ausência. Votaram contra o afastamento do prefeito os vereadores Josemar de Araújo (PMDB) e Ezinair Lustosa Bastos (PMDB). 
O presidente da Câmara disse ainda que a Comissão Permanente foi instalada no dia 26 de novembro e desde a data não consegue localizar o prefeito. 
“O prefeito tem se recusado a atender as intimações da comissão e devido  ele dificultar nosso trabalho, resolvemos colocar no pleno para votação”, esclareceu Benedito Guerra.
A Câmara dará posse a vice-prefeito Maria das Neves Vogado ao cargo de prefeita de Curimatá, que fica a 775 km de Teresina. 
 
Prefeito irá recorrer
Por telefone, o prefeito Reidan de Oliveira informou ao Cidadeverde.com que irá recorrer da decisão da câmara. Segundo ele, a cassação é uma mera “questão política” de adversários que não aceitam o progresso de Curimatá.
Ele garantiu que a cassação é ilegal e que não teve direito de defesa. “Os vereadores dizem que dificultei a comissão, mas moro em Curimatá e tenho escritório de advogados que poderia ser notificado”, disse o prefeito.
Reidan nega as acusações e disse que tem um dossiê contra o presidente da Comissão Processante com vídeos e áudios que serão entregues na Polícia Federal. 
“Vou desmascarar essa quadrilha de Curimatá. Tenho uma vasta documentação contra eles e divulgarei no momento certo. Vou recorrer a justiça e em uma semana volto ao cargo. Entrego nas mãos de Deus”, disse Reidan de Oliveira. 

 Fonte: Cidade Verde