sábado, 4 de abril de 2015

Delegado garante punição por morte de Eduardo; Corpo chega ao Piauí no domingo


Pais do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, que morreu ontem após ser baleado
Foto: Fábio Gonçalves/Agência O Dia/Estadão
O delegado Rivaldo Barbosa, chefe da Divisão de Homicídios do Rio de Janeiro, garantiu à família do menino Eduardo de Jesus Ferreira, 10 anos, morto no Morro do Alemão na última quinta-feira (2), que irá punir os responsáveis pelo crime sem medir esforços. A afirmação foi feita durante reunião para definir detalhes sobre o translado do corpo para o Piauí, Estado de origem dos pais da vítima. Segundo a mãe do menino, Terezinha Maria de Jesus, 40 anos, a criança estava na porta de casa quando foi surpreendida pelos disparos, que seriam resultado de uma troca de tiros entre policiais e traficantes. Em uma das primeiras versões, a polícia havia dito que o menino estava armado de pistola, mas apenas um telefone celular foi encontrado em suas mãos. Terezinha contou ao Cidadeverde.com que chegou a ser ameaçada pelo policial que alvejou seu filho. Agora, a família quer voltar ao Piauí com medo da violência dos morros cariocas.
"Vamos nos empenhar ao máximo para chegar aos culpados. Não vai ter proteção a ninguém. É preciso definir quem atirou e punir os responsáveis", afirmou o delegado Rivaldo Barbosa.

Translado
Por determinação do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, o Estado comprou as passagens aéreas e terrestres dos pais e de duas irmãs do menino para o Piauí, onde o corpo de Eduardo será enterrado. O Estado vai custear também todas as despesas com o translado e sepultamento. O corpo sai da capital fluminense por volta das 11h deste domingo (5).
Em nota enviada ao Cidadeverde.com, o governo explicou que a secretária de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Teresa Cosentino, o chefe da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa, e a secretária nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Angélica Goulart, participaram da reunião com a família do menino para definir os últimos detalhes do translado. 
"Sei da angústia do governador em resolver esse caso. Ele me pediu para fazer o necessário para ajudar essa família. Estamos cercando-os dos cuidados necessários e fazendo o que está ao nosso alcance para minimizar essa dor. Vamos acompanhá-los com o que for preciso e essa ajuda não será só agora. Temos que dar uma resposta correta a essa família", disse Teresa Cosentino. O corpo foi liberado do IML ainda no início da noite de ontem (3). A família seguirá de avião do Rio até Teresina e o restante do percurso até Corrente (874 km de Teresina) será feito de ônibus. Os pais e irmãos de Eduardo devem passar pelo menos 10 dias no Piauí. 

Delegado Rivaldo Barbosa acompanha o caso

Fonte: CidadeVerde