quinta-feira, 18 de junho de 2015

Assembléia terá audiência pública para debater situação do Rio Gurguéia

O rio Gurguéia, considerado um dos maiores afluentes do rio Parnaíba, será tema de audiência pública a ser realizada em julho, no município de Colônia do Gurguéia. O debate levantado nesta terça-feira (16), na Assembleia Legislativa do Piauí, pelo deputado Marden Menezes (PSDB), mostrou o sofrimento da população com as estiagens e a degradação do rio.
O município que realiza no próximo mês uma semana cultural deve receber os deputados para debaterem a atual situação e buscar soluções rápidas para o rio, já que é a principal fonte de renda e economia de toda a região. “Realizar uma audiência no próprio município é salutar porque podemos ouvir a população e realizar uma visita ao local para acompanhar a real situação que se encontra o rio Gurguéia”, explicou Marden. Segundo relatos da população local o desmatamento incontrolado das suas margens, as poucas chuvas e o uso de maneira inadequada, sem nenhuma fiscalização pelos órgãos governamentais responsáveis pela preservação ambiental, está fazendo com que reduza drasticamente o volume de água.
O deputado José Santana (PMDB) também defendeu a realização de uma audiência pública no município. “Recebi a visita de moradores da região que relataram todo o problema e sofrimento que os moradores da região vem passando. Já havia solicitado também uma audiência no local para acompanharmos o que está acontecendo”, destacou.
O Rio Gurgueia é o maior afluente do rio Parnaíba pelo lado direito, nasce no município de Corrente, na cota de 500 m, entre as serras de Alagoinhas e Santa Maria. No trecho inicial o rio é intermitente e se torna perene a partir do km 82. Sua extensão total é de cerca de 532 km e apresenta uma declividade média de aproximadamente 2,1 m/km.
O rio Gurgueia é alimentado por poucos afluentes, em geral temporários, o que não impede a regularidade do regime na maior parte da calha principal. Entre os principais afluentes estão os rios Paraim, Curimatá, Fundo, Corrente, Canhoto e Esfolado e os riachos da Tábua e de Santana.
Fonte: CidadeVerde