segunda-feira, 29 de junho de 2015

Escritório do Interpi em Bom Jesus será reaberto no próximo mês

O diretor geral da Reforma e Regularização Fundiária (Interpi), José Osmar Alves, anunciou que o Escritório de Governança Fundiária da cidade de Bom Jesus, na região dos Cerrados do Piauí, será reaberto no próximo mês. O anúncio foi feito durante visita ao escritório, acompanhado do técnico do Banco Mundial, Camille Bourguignon, e da Diretora Técnica Fundiária Regina Lourdes. “O escritório do Interpi está fechado por questão de ordem burocrática e administrativa. Fica situado no prédio do Emater, mas, para pagarmos as despesas referentes às salas cedidas, estamos ultimando o convênio e, até o fim do mês de julho, vamos abrir o escritório, que é um ponto de apoio essencial para o órgão realizar o trabalho de campo na região”, disse José Osmar.
O diretor explicou que o escritório já tem uma equipe completa de técnicos para os trabalhos de campo, além do pessoal administrativo. Ele afirmou que essas pessoas estão com muita vontade de trabalhar, sendo úteis ao órgão e à sociedade.
“Na conversa com os servidores do escritório, mostrei que o órgão passa a ter nova cara, nova metodologia de ação e uma nova ideologia de trabalho em que o cidadão é considerado como tal e não como um pedinte que fica o tempo todo no órgão pedindo um despacho. Isso vai acabar, mas peço um tempo aos servidores e aos cidadãos para colocar a casa em ordem”, acrescentou o diretor do Interpi. José Osmar disse que, com a casa arrumada, iniciará, a partir de janeiro de 2016, um trabalho na área de regularização fundiária que espera ser um exemplo para o Brasil. No sábado, ele reuniu diretores e técnicos do órgão para tratar sobre a finalização de um plano de trabalho que será entregue ao governador Wellington Dias, prevendo, dentre outras ações, a ampliação das equipes de campo e a melhoria da sede do órgão.
Visita a juiz da Vara Agrária
Em Bom Jesus, o novo diretor geral da Reforma e Regularização Fundiária (Interpi), José Osmar Alves, o técnico do Banco Mundial, Camille Bourguignon, e a Diretora Técnica Fundiária Regina Lourdes visitaram o juiz da Vara Agrária, Heliomar Rios. José Osmar disse que a parceria entre o Instituto e a Vara Agrária será fortalecida.
“Tivemos uma longa conversa com o juiz que me pareceu muito interessado na resolução das questões agrárias e que tem efetivamente um conhecimento grande acerca desta área, especialmente das questões relacionadas aos Cerrados do Piauí, e que está disposto a, em conjunto com o Instituto, dar uma solução ao problema, que é secular no estado do Piauí”, comentou José Osmar. A viagem do novo diretor iniciou na última segunda-feira (22), com visitas às comunidades quilombolas do município de Isaías Coelho, Fazenda Nova e Sabonete, e ao assentamento do Interpi, Serra Branca Serra Vermelha, no município de São Raimundo Nonato. Na Fazenda Nova, onde vivem 170 famílias, a área de 5.592 hectares já foi titulada pelo órgão, mas falta o registro. Na comunidade Sabonete, a área de 2.717 hectares de 47 famílias está na fase final de titulação. No assentamento de São Raimundo Nonato, onde há um contrato de comodato, o Instituto vai georreferenciar toda a área e conceder a titulação definitiva.
“As visitas, junto com o técnico do Banco Mundial, foram muito positivas. Tivemos a oportunidades de conhecer a realidade e as reais necessidades do Interpi. Isso nos ajuda a formular uma ideia de como vamos estruturar o plano de georreferenciamento das terras de todo o Piauí que será iniciado pelo Sul do estado, onde as questões agrárias têm maior tensão por causa do uso intensivo da terra para produção de grãos”, afirmou José Osmar.


Fonte: CidadeVerde