terça-feira, 25 de agosto de 2015

R$ 35 mil: Agespisa paga salário maior que o de ministro do STF

Com uma dívida correspondente a 1 bilhão e 100 mil reais, a Águas e Esgotos do Piauí S/A (Agespisa) encontra-se em um momento financeiramente delicado. A situação atual da estatal foi tema da série "Gestão da água: a crise que transborda", que está sendo exibida no Jornal do Piauí. A segunda reportagem, exibida nesta terça-feira (25), mostrou que um dos principais gastos da empresa é com a folha de pagamento, onde alguns dos funcionários recebem salário superior ao da Presidente da República. De acordo com o portal da transparência, a Agespisa possui 3.155 funcionários. Destes, 1.455 efetivos e 1.700 terceirizados. No contracheque dos engenheiros da empresa, constam salários no valor de R$ 35.599,00. O valor é superior ao salário da presidente Dilma Rousseff, que ganha R$ 26 mil. Além do alto salário dos engenheiros, economistas, advogados e ex-diretores também ganham bem. Na folha de pagamento da empresa, o salário de alguns motoristas custa o equivalente a R$11 mil, e ainda constam salários no valor de R$7 mil para telefonistas e R$6 mil para alguns auxiliares de serviços gerais.
Os valores são devido aos direitos adquiridos pelos servidores ao longo do tempo, direitos que o Governo não pode alterar. "Uma situação extremamente difícil porque a empresa compromete cerca de 70% do que arrecada pra pagar o pessoal. Ao longo do tempo foram sendo implementados planos de cargos e salários que não guardam relação com a situação socioeconômica do Estado", explica o secretário estadual de Governo, Merlong Solano.
Segundo o presidente do sindicato dos Engenheiros do Piauí, Florentino Filho, que também é servidor da Agespisa, os funcionários não se aposentam porque a empresa não fez um plano de previdência complementar. "Um engenheiro ganha R$20 mil, se ele se aposentar pelo INSS, vai passar a receber R$1.600,00. Então ele não se aposenta, ele vai morrer aqui dentro se não houver um plano de incentivo a aposentadoria", informou.
A terceira e última reportagem da série "Gestão da água: a crise que transborda" vai ao ar nesta quarta-feira (26) durante o Jornal do Piauí.
Fonte: Cidade Verde