domingo, 11 de outubro de 2015

Governo do Estado investe em exploração de gás natural

O Piauí passa por um desenvolvimento que alia suas riquezas naturais a grandes projetos de investimentos.

Recentemente, o Estado do Piauí participou da 13ª Rodada de Licitações para Exploração, Desenvolvimento e Produção de Petróleo e Gás Natural, da Agência Nacional do Petróleo (ANP), no Rio de Janeiro. Entre os dez participantes do leilão, a Bacia do Parnaíba, com 22 blocos disponíveis para pesquisa e exploração, foi a área mais disputada pelos investidores. 

Segundo o secretário de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luís Coelho, esse leilão foi um sucesso para os estados do Piauí, Tocantins e Maranhão. “A Bacia do Parnaíba foi a mais procurada pelos investidores durante o leilão e isso mostra que o Piauí está no caminho certo, e que passou a ser visto de outra maneira, como uma grande fonte de pesquisa para a extração do gás natural”, ressalta o secretário.

Os 22 blocos ofertados, dos quais 11 foram arrematados, foram distribuídos para empresas vencedoras do leilão foram: Parnaíba Gás Natural (6 blocos), Ouro Preto (3 blocos), BPMB (1 bloco) e Vipetro (1 bloco). Essas empresas agora possuem permissão para explorar gás natural no Piauí, junto com a Petrobras, Galpe e EP Energia, de Ouro Preto, que já atuam no estado. A construção do gasoduto é uma realidade próxima para o estado do Piauí, uma vez que a exploração do gás natural pode ser usada para abastecer indústrias que se instalarem no Norte do estado. “A exploração do gás atrai indústria, o que gera empregos e renda. Agora, o governador do Estado vai reforçar o pedido junto à União, para realizar a construção do gasoduto”, explica o secretário da Mineração.

As empresas que ganharam a licitação vão apresentar ao governador Wellington Dias um plano de investimentos e atividades que serão executadas. A geração de empregos também será parte desses investimentos, tanto para mão de obra não qualificada quanto para mão de obra qualificada e técnica. “O Estado do Piauí tem um diferencial que é a educação prestada pelos centros educacionais, principalmente pela Uespi e pelos Institutos Federais (IFPI). A mão de obra local é um benefício para as empresas, que reduzem seus gastos, e gera oportunidades para os piauienses”, conclui Luis Coelho.

O foco, de acordo com as pesquisas, é o gás natural, mas a possibilidade de encontrar Petróleo não pode ser descartada. No próximo leilão, ainda sem data prevista, a expectativa é que a Bacia do Parnaíba continue sendo a mais cobiçada.

Fonte: Ascom