terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Para a APPM, prefeitos do Piauí são "administradores de problemas"

Muitos prefeitos do Piauí não querem mais concorrer a reeleição por conta da crise. A afirmação foi feita, nesta terça-feira (23/02), com exclusividade para a reportagem do Portal AZ, pelo presidente da APPM, Arinaldo Leal (PSB), durante assembléia geral de todos os prefeitos do Estado. A vice governadora, Margareth Coelho (PP), que estava no evento, disse que outro problema grave que os municípios enfrentam são as drogas. Para Arinaldo, os prefeitos estão “com as mãos na cabeça”, sem recursos até para pagar o novo piso salarial dos professores. “Todos vão pagar, mas vão tirar recursos de outro local. Os municípios estão numa crise sem precedentes. Não se tem de onde tirar para investir no desenvolvimento dos municípios”, frisa Arinaldo.

Para piorar mais ainda o “mar de negatividade”, a vice governadora Margareth Coelho afirma que o Piauí está tomado pelas drogas. A juventude está mergulhada num caminho sem volta. A situação, segundo Margareth, já atinge mais de 90% do território piauiense.  Ela sugeriu aos prefeitos que criem organismo de mulheres em todos os municípios para aumentar a capilaridade do combate a violência, principalmente contra a mulher.  “Precisamos de campanhas, de orientação e também de repressão da violência contra a mulher”, disse, citando o caso do estupro coletivo em Castelo do Piauí, onde a droga estava presente entre os autores do crime.

Arinaldo Leal reconhece a problemática da criminalidade, mas entende que o grande problema mesmo é a falta de dinheiro nos municípios. “Soma-se tudo isso e temos prefeitos que, mesmo tendo direito, e grande chance de ser reeleito, não querem mais se candidatar”.

Para a APPM, hoje o prefeito “é um administrador de problemas, com escacez de recursos, queda do FPM, ICMS, obras paradas, perda de receita, muitas obrigações e cobranças dos órgãos fiscalizadores”, como pontua Arinaldo, acrescentando que os municípios estão entrando em colapso, por isso, muitos atuais prefeitos estão pensando duas vezes antes de se candidatar.

A situação estaria pior nos pequenos municípios da região do semiárido, que enfrentaram quatro anos de seca, a demanda da população aumentou e os recursos reduziram, as despesas aumentaram.

Os prefeitos do Piauí já se aliaram a Confederação Nacional dos Prefeitos, para no mês de maio participar de uma marcha, em Brasília, para pedir socorro a presidente Dilma. A pauta é a crise nos municípios.

Fonte: Portal AZ