segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Teresina é considerada a cidade mais desenvolvida do Nordeste

Teresina é a capital mais desenvolvida do Nordeste e a 12ª do Brasil, segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) considera indicadores nas áreas de educação, saúde e emprego e renda e tem como base os dados consolidados de 2013. Foi analisado o nível de desenvolvimento econômico dos mais de 5 mil municípios brasileiros. O índice varia de 0 a 1 e, quanto mais próximo de 1, melhor é o desenvolvimento da cidade. Veja as notas da capital do Piauí:
      Avaliação geral: 0,7813 
Saúde: 0,7814
Educação: 0,7816
Emprego e Renda: 0,7809
O desenvolvimento de Teresina foi considerado moderado, pois está avaliado entre 0,7 e 0,8.
A cidade considerada como a mais desenvolvida do país, de acordo com a pesquisa, é Extrema, em Minas Gerais, com índice de 0,8383. Em segundo lugar ficou São José do Rio Preto (SP), com 0,7786, seguida por Indaiatuba (SP), 0,8008, depois por São Caetano do Sul (SP), 0,7562.  Em 5º lugar ficou Vinhedo (SP), com 0,7837.
Teresina apresentou o maior avanço do IFDM consolidado (+4,2%) dentre as capitais, empatada apenas com Boa Vista. Na capital do Piauí, ainda que o progresso do mercado de trabalho tenha sido o maior vetor do desenvolvimento, foram registradas altas relevantes nas áreas de Educação (+2,1%) e Saúde (+4,1%). Veja a progressão:
Recentemente, Teresina foi apontada pelo Banco Mundial como uma das cidades mais competitivas da América Latina. Outro destaque foi na Folha de São Paulo, que colocou Teresina como a 12ª cidade brasileira em investimentos.

Dados do Estado
No Piauí, depois de Teresina, a cidade com maior índice de desenvolvimento é Piripiri, com 0,6798; seguido de Água Branca (0,6649) e Baixa Grande do Ribeiro (0,6649). Em últimos lugares ficaram Geminiano (0,4067), Pimenteiras (0,4048) e Paes Landim (0,4025). De 0,4 a 0,5 o desenvolvimento é considerado regular, portanto, o Piauí não tem municípios com baixo desenvolvimento, segundo a pesquisa. 
Base de cálculos
Educação - o índice é calculado pelas matrículas do ensino infantil, pela média de aulas diárias e o resultado no Ideb no ensino fundamental. 
 
Saúde - o índice é calculado pelas consultas de pré-natal, óbitos por causas mal definidas, óbitos infantis por causas evitáveis e número de internações sensíveis à atenção básica (ISAB).
Emprego e renda - o índice é calculado pelo número de empregos formais registrados, pela capacidade de absorver mão de obra local, a renda gerada, os salários médios e a desigualdade social.
Fonte: CidadeVerde