terça-feira, 5 de abril de 2016

Crise econômica aumenta número de inadimplentes com a Eletrobras Piauí

Gileno Ribeiro afirma que Eletrobras oferece acordos para consumidores (Foto: Juliana Gomes/G1)

O número de pessoas que estão inadimplentes com a Eletrobras aumentou em relação ao ano passado segundo dados fornecidos pela empresa ao G1. De acordo com a gerente de Cobrança da Eletrobras Distribuição Piauí, Mariana de Araújo, esse índice de arrecadação diminuiu com a intensificação da crise econômica, o que aumentou a necessidade de suspensão do fornecimento de energia elétrica desses consumidores que estão irregulares.  A empresa afirmou que o número de inadimplentes nos dois primeiros meses de  2016 foi o maior em relação aos últimos cinco anos, somando R$ 341,5 milhões em janeiro e R$ 329,4 milhões em fevereiro.
O gerente do departamento de faturamento e recebíveis, Gileno Ribeiro, explicou que o número de pessoas que estão devendo a empresa atrapalha investimentos e melhorias dos serviços para o consumidor.

“Esse valor (que não está sendo pago) poderia estar sendo investido em melhorias para os próprios consumidores, inclusive, os inadimplentes. Se deixa de entrar dinheiro no caixa, então temos um problema de falta de recursos para realizar melhorias na empresa”, disse.
Para o economista Antônio Claudio, a crise econômica de fato é a grande responsável pela alta da inadimplência. "O que acontece é que a inflação aumentou, o salário não acompanhou, então as pessoas estão priorizando pagar as contas relacionadas a aluguel, educação e alimentação. As outras elas vão deixando, ai vai acumulando e assim ficam inadimplentes", explicou.
Pagamento de contas
O gerente do departamento de faturamento e recebíveis da Eletrobras, Gileno Ribeiro, esclareceu ainda que foi realizada uma campanha em novembro do ano passado até janeiro desse ano para que os inadimplentes pudessem quitar suas dívidas, mas que mesmo com o encerramento da promoção, a Eletrobras disponibiliza formas de pagamento para ajudar os consumidores em débito.

“Nessa campanha que realizamos oferecemos 60 meses para parcelar as contas, juros pela metade e entrada de 10%. Isso para que as pessoas começassem o ano quitando suas dívidas de energia. A campanha já acabou e não terá novamente esse ano, mas continuamos tentando acordos, oferecendo parcelamentos em 36 meses, negociamos via call center, para que essas pessoas não tenham a luz cortada”, explicou.

Como economizar energia
Para quem deseja diminuir os gastos com energia, o gerente do departamento de faturamento e recebíveis, Gileno Ribeiro, dá algumas dicas como, trocar as lâmpadas e desligá-las quando um cômodo da casa estiver vazio.

“É importante que as pessoas fiquem atentas aos tipos de lâmpadas que tem em casa. Nós aconselhamos a trocar a convencional por uma florescente ou até mesmo por uma de LED que consome menos energia. É preciso desligar as lâmpadas dos cômodos das casas em que as pessoas não estiverem e podem trocar a borracha da geladeira, inclusive o que mais consome são geladeiras muito antigas”, declarou.

Fonte: G1