sábado, 25 de junho de 2016

Universidade Aberta do Brasil funciona desde 2007 em Gilbués

A Universidade Aberta do Brasil é um sistema integrado por universidades públicas que oferece cursos de nível superior para camadas da população que têm dificuldade de acesso à formação universitária, por meio do uso da metodologia da educação a distância. Prioritariamente, os professores que atuam na educação básica da rede pública são atendidos, seguidos dos dirigentes, gestores e trabalhadores em educação básica dos estados, municípios e do Distrito Federal.

O Sistema UAB foi instituído pelo 
Decreto 5.800, de 8 de junho de 2006, para "o desenvolvimento da modalidade de educação a distância, com a finalidade de expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior no País". Fomenta a modalidade de educação a distância nas instituições públicas de ensino superior, bem como apóia pesquisas em metodologias inovadoras de ensino superior respaldadas em tecnologias de informação e comunicação. Além disso, incentiva a colaboração entre a União e os entes federativos e estimula a criação de centros de formação permanentes por meio dos polos de apoio presencial em localidades estratégicas.

Assim, o Sistema UAB propicia a articulação, a interação e a efetivação de iniciativas que estimulam a parceria dos três níveis governamentais (federal, estadual e municipal) com as universidades públicas e demais organizações interessadas, enquanto viabiliza mecanismos alternativos para o fomento, a implantação e a execução de cursos de graduação e pós-graduação de forma consorciada. Ao plantar a semente da universidade pública de qualidade em locais distantes e isolados, incentiva o desenvolvimento de municípios com baixos 
IDH e IDEB. Desse modo, funciona como um eficaz instrumento para a universalização do acesso ao ensino superior e para a requalificação do professor em outras disciplinas, fortalecendo a escola no interior do Brasil, minimizando a concentração de oferta de cursos de graduação nos grandes centros urbanos e evitando o fluxo migratório para as grandes cidades.

Gilbués

No município de Gilbués funciona desde 2007 o Polo de Apoio Presencial Chapada das Mangabeiras, tendo como coordenadora do mesmo a Professora Maria de Fátima Lustosa B. de Oliveira (professora da rede estadual cedida para o projeto). O Polo de Gilbués conta com dez Cursos de Graduação, cinco de Pós Graduação, tendo atualmente 517 alunos matriculados. Tem um acervo bibliográfico de 3.908 itens de consulta. Dispõe de 60 computadores conectados à internet. Oferece os cursos de Licenciatura Plena em Pedagogia e Licenciatura Plena Letras/Português, Lic. Plena em Espanhol, Lic. Plena em Inglês, Lic. Plena em Geografia, Lic. Plena em História, Lic. Plena em Matemática, Lic. Plena em Ciências Biológicas, Bacharelado em Administração, Bacharelado em Sistemas de Informação. Pós Graduação em Informática na Educação, Pós Graduação em Alfabetização e Letramento, Pós Graduação em Educação Ambiental, Pós Graduação em Gestão Educacional e Pós Graduação em Matemática. O Polo de Gilbués atende também aos municípios de Monte Alegre, Santa Filomena, Redenção do Gurgueia, Bom Jesus, Barreiras do Piauí, São Gonçalo do Gurgueia, Corrente, Cristalândia, Riacho Frio, Curimatá e Sebastião Barros. A Infra-Estrutura física e composta por uma sala de coordenação do polo, uma sala para Secretaria Acadêmica, uma biblioteca, uma sala para tutores, uma sala de Aula Presencial Típica, três laboratórios de informática e um laboratório de Ciências Biológicas. Com relação aos recursos humanos o polo conta com um coordenador, um secretário, um técnico em informática, um tutor presencial para cada 25 alunos, quatro auxiliares de portaria, um auxiliar de biblioteca e um auxiliar de serviços gerais.






Rejaneide Maciel, tutora de laboratório 











Maria de Fátima Lustosa, coordenadora do polo