segunda-feira, 11 de julho de 2016

Agregação de comarcas tira juiz de duas das mais antigas cidades do Piauí

Igreja de Santo Antônio em Jerumenha
A agregação de comarcas por outras, que foi referendada na manhã desta segunda-feira (11), pelo Tribunal de Justiça do Piauí, vai atingir duas das mais antigas cidades do Estado: Jerumenha e Parnaguá – fundadas ainda no século XVIII.
As duas fazem parte da lista das sete primeiras vilas instaladas no Piauí a partir do final da segunda metade XVIII. As outras vilas são Oeiras (Vila da Mocha), Castelo (antes chamada de Marvão), Parnaíba (São João da Parnaíba), Campo Maior (Santo Antônio de Campo Maior) e Valença.
A história da fundação de Jerumenha remonta a 1676, mas sua criação foi por Carta Régia, em 1761. A cidade tem o segundo mais antigo templo católico do Piauí, a Igreja de Santo Antônio.
Parnaguá chamou-se antes Vila de Nossa Senhora do Livramento de Paranaguá, sendo a terra natal do Marquês de Paranaguá, João Lustosa da Cunha Paranaguá, figura ilustre e de destaque no cenário nacional do Brasil Império, bem como de seus irmãos: Barão de Paraim e o Barão de Santa Filomena.
A vila foi criada por carta régia de 1761, três anos após a instalação da capitania do Piauí, em 1758.
Atualmente, as duas cidades somam 14.953 moradores, sendo 4.392 em Jerumenha e 10.561 em Parnaguá.
Outra cidade centenária que perderá a condição de sede de comarca é Santa Filomena, criada como distrito pela Lei Provincial nº 413, de 9 de janeiro de 1856 e elevada à condição de vila com a denominação de Santa Filomena, pela Resolução Provincial nº 586, de 25-08-1865, desmembrada de Parnaguá.
Fonte: Portal AZ