terça-feira, 19 de julho de 2016

Presa servidora considerada foragida na Operação Déspota

Foi presa e foi levada para o IML (Instituto de Medicina Legal) para exame de corpo de delito, pelo BTAP (Batalhão do Policiamento Tático Aeropolicial) a funcionária pública Fátima Salvadora Duarte Mendes, que teve a prisão temporária decretada pelo desembargador José Francisco Nascimento, do Tribunal de Justiça, por solicitação do promotor de Justiça, Rômulo Cordão, coordenador do Gaeco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado). Fátima Salvadora Duarte Mendes deveria ter sido presa no dia que foi deflagrada a Operação Déspota, que prendeu o prefeito de Redenção do Gurgueia, Delano Parente, e mais 16 pessoas, acusadas de envolvimento em esquema de fraude em licitação, para superfaturamento de preços em obras e compras de mercadorias e prestação de serviços para a Prefeitura Municipal de Redenção do Gurgueia.

Os advogados da acusada disseram que ela não estava foragida, mas em Salvador (BA). No dia da operação, a polícia procurou Fátima no município de Morro Cabeça no Tempo, mas ela não foi localizada e até agora estava sendo procurada. Os advogados disseram que ela se apresentou na manhã desta terça-feira, na sede do Gaeco e será levada para a Penitenciária Feminina de Teresina. Ela disse que era lavradora, mas agora é auxiliar de serviços gerais, após passar em concurso público.

Fonte: Meionorte