quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Acusada de estelionato Mira Melo se candidata em Parnaguá

Mira Melo com o esposo
O juiz Bruno Cristiano de Carvalho Cardoso, da Subseção Judiciária de Floriano, designou para as 16:00 hs, do dia 13 de outubro de 2016, audiência para que sejam ouvidas as testemunhas de acusação na ação penal em que é ré Semíramis Elvas de Aragão Melo, mais conhecida como Mira Melo, suspeita de estelionato majorado (crime tipificado no art.171, parágrafo 3°, do Código Penal) pelo Ministério Público Federal. Serão ouvidas através de videoconferência Maria César Andrade dos Reis e Jacilda Porto Noleto.
A pena para o crime pode chegar a 5 anos de cadeia. 
Entenda o caso
De acordo com a denúncia do MPF, Mira Melo, sócia administradora do Laboratório Lunar Ltda, no período de junho a dezembro de 2010, induziu o Sistema Único de Saúde -SUS em erro ao informar procedimentos ambulatoriais que não foram realizados. A suspeita informou a realização de mais de 15.000 (quinze mil) procedimentos, sendo que, na verdade, só foram comprovados 456(quatrocentos e cinquenta e seis). O prejuízo causado ao erário foi de R$ 38.659,94(trinta e oito mil, seiscentos e cinquenta e nove reais e noventa e quatro centavos).
Mira Melo é candidata a prefeita do município de Parnaguá, a 826 Km de Teresina.
Fonte: GP1