terça-feira, 23 de agosto de 2016

População do extremo Sul do Piauí cobra serviços bancários

Após uma série de roubos que levou ao fechamento de várias agências bancárias no Sul do Piauí, a região vem enfrentando sérios problemas com a suspensão dos serviços bancários. De acordo com Sindicato dos Bancários do Piauí, 11 cidades da região não possuem nenhuma agência bancária.
"Atualmente, apenas a cidade de Corrente possui as agências do Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa Econômica e Bradesco, outra cidade com estrutura é Bom Jesus, que já fica cerca de 250km de distância. Porém, cidades como: Sebastião Barros, Avelino Lopes, Cristalândia, Morro Cabeça do Tempo, Parnaguá, Riacho Frio, São Gonçalo do Gurgueia, Júlio Borges, Barreiras do Piauí e Monte Alegre estão completamente sem serviços bancários", afirmou a diretora do Sindicato, Francisca de Assis Araújo.
Segundo o morador de Corrente, Moisés Barreira, a falta de agências nas cidades vizinhas tem superlotado o serviço bancário de Corrente e causado vários transtornos para população. "Aqui está um caus. As agências sempre abarrotadas e com filas enormes. O dinheiro não é disponibilizado nos caixas eletrônicos e dificilmente encontramos dinheiro durante os finais de semana, é uma verdadeira confusão", afirmou o estudante.
Durante esta semana, buscando resolver o problema, autoridades da região buscaram o apoio do deputado estadual Fernando Monteiro (PRTB), para a instalação de agências nessas regiões.
Segundo Monteiro a situação além de causar grandes problemas para a população, gera um grande atraso econômico para a região. "Se o dinheiro tem dificuldade de circular prejudica o pequeno e micro comerciantes. A população passa a gastar menos na sua própria cidade, gerando assim menos impostos para os cofres públicos locais; situação muito grave para alguns municípios mais humildes", pontuou o parlamentar.
Fonte: Ascom