quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Piauí perde 1,7 mil vagas de emprego e tem pior outubro em 13 anos

As vagas de emprego formal no Piauí seguem caindo. Apenas no mês de outubro foram eliminados 1.797 postos de trabalho com carteira assinada. É o pior resultado para o mês desde 2003, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O setor de indústria a transformação foi o principal responsável pelo resultado negativo, registrando a perda de 1.136 vagas de emprego no mês passado, uma variação negativa de 3,89% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os setores de comércio, serviços e agropecuária também tiveram resultados ruins.

No acumulado de janeiro a outubro de 2016, o Piauí perdeu 10.892 postos de trabalho. O setor de comércio foi o que mais eliminou vagas: 2.843; seguido da construção civil: 2.523.

A pequena cidade de União foi a que mais sofreu no mês de outubro, perdendo 1.233 empregos com carteira assinada. A capital Teresina vem em seguida com 500 vagas perdidas. O período pesquisado foi tão negativo que a cidade de Parnaíba foi a que teve o melhor resultado, mas criando apenas 36 postos de trabalho. Campo Maior também teve saldo positivo, com 14 vagas criadas.

Brasil
O Brasil continuou a fechar vagas formais de trabalho em outubro deste ano. De acordo com informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgadas nesta quinta-feira (24) pelo Ministério do Trabalho, no mês passado houve 74.748 demissões a mais do que contratações.
Apesar de negativo, o resultado do mês passado foi menos ruim que o de outubro de 2015, quando foram fechados 169.131 postos de trabalho, o pior resultado para esse mês desde o início da série histórica do Ministério do Trabalho, em 1992.