quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Após doença causada pelo uso de drogas, jovem viaja o PI para dar palestras

José Armando tem 29 anos. Para respirar, ele precisa de um balão de oxigênio 24 horas por dia e também de uma companhia para carregar o cilindro. Há quatro anos, o jovem descobriu que sofria de hipertensão pulmonar causado pelo consumo de entorpecentes. Agora, o ex-usuário resolveu virar a página e há alguns meses percorre cidades do Piauí para levar sua história de vida e conscientizar sobre o perigo do uso de drogas. 
"Eu comecei com um simples cigarros por dia. Comecei com cigarro, depois dei uns goles no alcóol. Da cachaça passei para a maconha e fui parar na cocaína mais forte", disse o ex-dependente químico. 
A mudança brusca no estilo de vida o levou a assumir uma missão e viajar o Piauí ministrando palestras. 
"O que eu não quero mais para mim, também não quero para os jovens de hoje em dia, para essa nova geração. Minha missão não é apenas falar, mas mostrar o que a dorga é capaz de fazer na vida do ser humano. Onde eu puder ir, onde tiver portas abertas para eu fazer o meu trabalho, onde Deus me mandar...eu vou. A droga é sem futuro, não tem o que oferecer a gente a não ser isso aqui, do jeito que você está me vendo", disse Armando. 
Enquanto José Armando se esforça para evitar que outras pessoas sejam vítimas do mesmo sofrimento, luta pela própria vida, mas esbarra na burocracia. Há quatro anos convivendo com o problema, ele não está conseguindo realizar pelo SUS, exames de imagens necesssários para o transplante de pulmão. 
"Vivo sofrendo pois não como direito, não durmo e não faço o que eu fazia antes", finaliza. 



Fonte: CidadeVerde