terça-feira, 7 de março de 2017

Samus municipais estão sem receber repasse há sete meses no Piauí

Situação complicada no interior do estado. Como se não bastasse a crise financeira enfrentada pela maioria das prefeituras, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) nos municípios não recebe o repasse financeiro do governo do estado há sete meses.
De acordo com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde, os municípios tem por obrigacão de gastar 15% do orçamento com a saúde, mas algumas prefeituras estão tendo que gastar até 24% para não deixar o Samu parar. O governo do estado precisa repassar para as cidades o valor de R$ 5.200 mil para cada Serviço de Atendimento Móvel de Urgência básico, no entanto em 2014 esse repasse parou por três meses, em 2015 o atraso se repetiu,  2016 chegou a seis meses e 2017 nada foi depositado.
"A situacão nos municípios está complicada. Estamos com a incerteza do repasse da Atenção Básica, do Samu e dos hospitais por algum tempo. Já tivemos vários diálogos com o governo, através da Secretaria Estadual de Saúde. Nós temos débitos de gestores anteriores e mesmo o Samu sem este repasse, nós temos que manter o servico. Muitos municípios estão há três meses sem pagar os profissionais, mas mantendo o servico funcionando com muita dificuldade", comentou a presidente do Conselho, Leopoldina Cipriano.
Segundo Leopoldina Cipriano, sem data certa para o repasse há atraso no salário do servidor, que fica insatisfeito e acaba respigando no usuário. A situacão das ambulâncias também é outro problema. Ela destacou que é necessário nova frota para não se gaste tanto com reparos. "A gente planeja as ações, mas na hora de executar é preciso dinheiro", frisou.
O Ministério Público notificou vários municípios cobrando o órgão um posicionamento sobre o repasse. No entanto, o acordo feito ano passado pelo governo para pagar dois meses em um e assim sanar as pendências anteriores, não foi cumprindo. "Nós não temos como dar justificativa, porque dependemos do governador", disse Leopoldina.
A superintendente de Atencão a Saúde, Cristiane Moura Fé, informou que a Sesapi garantiu pagamento de janeiro a partir da próxima semana. O acordo será feito da seguinta forma: uma parcela do mês vigente e anterior.  "A proposta foi aprovada pelo governador para que esse acordo seja mantido", explicou.
Fonte: G1