segunda-feira, 10 de abril de 2017

Irmãos do PCC comandavam quadrilha responsável por assalto a Servi-San

Segundo o delegado do Grupo de Repressão ao Crime Organizado, Carlos César, a quadrilha responsável pelo assalto milinário à empresa Servi-san, era comandada por dois irmãos. Eles eram responsáveis por dar informações ao restante do bando. Ao todo 15 pessoas foram capturadas. Duas acabaram soltas. Parte da quadrilha foi localizada em São Paulo e transferida para Teresina na última sexta-feira. A SSP-PI apresentou 13 integrantes da quadrilha.
“O caso foi muito complexo e as investigações iniciaram em Teresina e logo depois recebemos apoio também da polícia de São Paulo. Dois irmãos encabeçavam toda ação. Um morava em São Paulo e outro morava em Teresina. O de Teresina passava todas as informações e os paulistas executaram toda ação”, disse.
Delegado Carlos César
Delegado Carlos César
O delegado completou que a quadrilha deve ficar no presídio na cidade de Altos. “Eles vão ficar isolados dos outros presos porque eles são membros da facção PCC”, ressaltou.
De acordo com Secretário de Segurança, Fábio Abreu, a quadrilha é responsável pelo assalto da empresa Servi San e outras explosões de caixas eletrônicos que aconteceram em 2016. O bando teria roubado cerca de R$ 15 milhões e fugiu para São Paulo. A polícia busca agora recuperar o dinheiro roubado.
Secretário Fábio Abreu
Secretário Fábio Abreu
“Prendemos oito criminosos em São Paulo, seis em Teresina e um no Maranhão. Os piauienses eram responsáveis pela troca de informação privilegiadas, assim com logistica do crime. Os paulistas executaram a missão, fazendo sequestro das vítimas e entrando na empresa de valores. Os piauienses ainda deram apoio na retirada das armas seguindo rota pelo Ceará. O próximo passo é buscar recuperar esse dinheiro que foi roubado do cofre da empresa. Através do nosso Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro, vamos recuperar os recursos financeiros”, explicou o secretário Fábio Abreu.
A quadrilha tinha funções bem definidas e fez repartiu os valores roubados de acordo com a participação de cada um. Piauienses levaram em torno de R$ 50 mil, enquanto os paulistas que estavam na linha de frente ficaram com R$ 600 mil a R$ 1 milhão. Parte do dinheiro foi recuperado.
Ainda de acordo com Fábio Abreu, a polícia continua com a investigação do caso. "O trabalho de inteligência da polícia continua, porque ainda há prisões que devem ser feitas. Nós trablalhamos em silêncio e mostrando resultados. Próximo passo é recuperar os recursos que eles subtrairam. Precisamos tirar de circulação esse dinheiro porque não basta apenas prender, mas também desestruturar financeiramente a quadrilha para que não possam custear a soltura desses presos com produto de crime. Parabenizo e agradeço aos policiais Civis e Militares do Piauí e São Paulo, Policiais Federais, DEIC-SP e demais envolvidos direta e indiretamente neste trabalho", completou.
As investigações aconteceram em Teresina - PI, Sao Luis-MA, São Paulo -SP, São José dos Campos- SP, Cotia-SP, Taboão da Serra -SP e Jacarei-SP. Participam da Operação cerca de 100 policiais do Greco – PI, Diretoria de Inteligência da SSP/PI, DEIC-SP e Policiais Civis do Maranhão. 
Treze presos na operação Tríade Paulista
Treze presos na operação Tríade Paulista
Fonte: Portal AZ