terça-feira, 4 de abril de 2017

Piauí é o pior no ranking de trabalho infantil e principal atividade é agrícola

O Piauí continua sendo o pior do país no ranking do trabalho infantil, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, referente ao ano de 2015. No Estado, o índice de crianças e adolescentes com idades de 5 a 17 anos trabalhando é de 9,9% e a principal atividade é a agrícola. 
Para o procurador do trabalho do Ceará, Antônio Lima- que media em Teresina um debate sobre políticas públicas, aprendizagem e educação voltadas para crianças e adolescentes- o Piauí tem avançado no combate ao trabalho infantil, mas o déficit histórico é muito grande. Ele acrescenta ainda que a redução do trabalho infantil no Nordeste tem sido maior que a média nacional nos últimos anos. 
"O Piauí apresenta o maior índice de trabalho infantil, mas já teve redução de 34% na última pesquisa. Houve redução significativa, mas ainda é o pior índice", destaca. No Nordeste, em geral, uma das principais atividades é a doméstica, proibida para menores de 18 anos. 
Em Teresina, o representante do Ministério Público pretende compartilhar experiências na área, bem como conhecer a realidade das entidades que trabalham com crianças e adolescentes e fortalecer a rede de proteção formada pelo Consellho Tutelar, Educação, Creas e Conselhos de Direito. 
"O Ministério Público do Trabalho quer conhecer a realidade de cada entidade, quais as maiores dificuldades para desempenhar o trabalho e de que maneira o trabalho infantil está sendo prevenido e combatido. Temos o projeto 'Resgate a Infância' que trabalha as políticas públicas para o trabalho infantil em três eixos: educação, profissionalização e políticas públicas", disse Antônio Lima.
Os dados do Pnad referente ao ano de 2016 serão divulgados em novembro deste ano.

Fonte: CidadeVerde