sábado, 29 de abril de 2017

População denuncia falta de remédios nos postos de saúde de Corrente

Prateleira de remédios praticamente vazia. UBS Morro do Pequi;
A população do município de Corrente tem se manifestado há algumas semanas sobre as dificuldades para encontrar remédios da farmácia básica nas unidades de saúde. Mas na última semana, aconteceu uma série de denuncias nas redes sociais sobre a difícil situação das unidades, inclusive quanto aos procedimentos odontológicos, que não estaria sendo feito por falta de material, e em alguns casos até falta de material de limpeza, como no caso do posto de saúde do Caxingó, zona rural do município.
Os remédios para hipertensão são os que mais tem preocupado a comunidade. "Tem muito tempo que eu não encontro o meu remédio pra hipertensão e sou obrigada a comprar. Mas não é só esse remédio, tem outros que eu também preciso e como eu sou aposentada com um só salário eu tenho que escolher qual remédio vou comprar. É muito difícil", desabafa uma idosa, moradora do bairro Aeroporto, que não quis se identificar.
O prorietário de uma farmácia no Centro da cidade relata que a demanda por remédios subiu consideravelmente, mas que as pessoas de baixa renda têm dificuldade para compra-los. "Eles vêm com uma receita para 3 caixas, mas compram só uma. E são muitos".
As denúncias quanto ao atendimento odontológico também são muitas. De acordo com servidores, os dentistas comparecem ao local de trabalho, mas não podem efetuar o atendimento completo porque falta material. "Nessa quarta mesmo, todos os pacientes que precisavam só fechar o canal foram mandados embora e as consultas foram remarcadas".

Denuncia de uma moradora da cidade
Preocupado com as denúncias, o vereador Riva realizou uma série de visitas nessa quinta-feira (27), e constatou que todos os postos de saúde visitados faltavam remédios. "Fui nas unidades de saúde dos bairros Vermelhão, Morro do Pequi e Sincerino, aqui na zona urbana, e na UBS do Caxingó, na zona rural. Em todas elas falta praticamente tudo na farmácia básica, desde remédios para hipertensão até anticoncepcional, não tem quase nada! Em em todos os postos, sem excessão, também fui informado que o dentista vai trabalhar mas é obrigado a voltar porque não tem material.

Vereador Riva visitou diversos postos de saúde e constatou a falta de remédios
A secretária municipal de Saúde e Saneamento, Sinara Cibele Machado dos Santos, informou ao Portal Corrente que a aquisição de medicamentos demorou por causa do processo de licitação, que estava em andamento. "Mas ja foi feito a agora vai ser resolvido. Já autorizei a farmacêutica fazer a lista dos medicamentos e fazer o pedido". De acordo com informações do portal da transparência, a licitação foi realizada no dia 7 de abril.
Sobre a demora na aquisição dos remédios, o vereador Riva protesta. "Isso é um absurdo, já se passaram quase 5 meses e a população de Corrente é obrigada a passar por essa situação, ficar sem remédio. As Secretarias foram entregues com dinheiro em caixa e nada justifica essa demora! Chega, já esperamos demais".

 Fonte: Portal Corrente