quinta-feira, 18 de maio de 2017

Orçado em R$ 350 milhões, alargamento da BR-135 será feito em 3 anos

Por conta do alto custo e da crise financeira vivida pelo país, a obra de alargamento da BR-135, no Sul do Piauí, será feita por trechos e deve durar pelo menos 3 anos. A informação é do deputado federal Marcelo Castro (PMDB) após reunião com o ministro dos transportes, Mauricio Quintela, nesta quarta-feira (17) em Brasília. O alargamento da chamada “rodovia da morte” está orçado em R$ 350 milhões.
“A BR-135 já tem projeto executivo, já tem licença ambiental para o seu alargamento, mas falta recurso. A obra está orçada em R$ 350 milhões. Por sugestão nossa e o ministro acatou, nós vamos fazer por partes, já que R$ 300 milhões na situação que o país está agora fica muito difícil”, disse o deputado.
A estrada, que era estadual e foi federalizada, possui 640 km no Estado. Muitos considerados extremamente perigosos e causadores de vários acidentes. O alargamento, segundo Marcelo Castro, começaria por Bom Jesus. 
“Ficou mais ou menos estabelecido para a gente fazer a obra em três anos. No primeiro ano seria o trecho de Bom Jesus a Elizeu Martins, depois se faria Bom Jesus a Gilbués e depois se faria o trecho Corrente até a divisa do Piauí com a Bahia”, explica o deputado, que estava acompanhado dos senadores Ciro Nogueira e Elmano Férrer.
Só nos três primeiros meses de 2017, 33 pessoas morreram na rodovia. O mês de fevereiro foi um dos mais violentos. No município de Cristalândia, próximo da divisa com a Bahia, quatro pessoas da mesma família, sendo duas crianças, morreram em acidente, quando o carro em que estavam se chocou frontalmente com um caminhão tanque vazio. Os dois veículos pegaram fogo. A tragédia foi no dia 26 de fevereiro. Dois dias depois, outras quatro pessoas morreram em outro acidente quase no mesmo lugar.
O alto índice de acidentes fez a Polícia Rodoviária Federal (PRF) pedir a intervenção da rodovia após constatar em relatório que ela não possui acostamento, além de desníveis e leito muito estreito. Em alguns pontos, a largura é pouco superior a 5 metros, quando muitos caminhões que trafegam têm cerca de 3,5 metros de largura. Segundo a PRF, o ideal é que a BR-135 tivesse sua plataforma ampliada para 7 metros, com 2,5 metros de acostamento para que fique no padrão de uma rodovia federal. A estrada corta as cidades de Guadalupe, Jerumenha, Bertolínia, Manoel Emídio, Eliseu Martins, Colônia do Gurgueia, Alvorada do Gurgueia, Cristino Castro, Bom Jesus, Redenção do Gurgueia, Monte Alegre do Piauí, Gilbués, São Gonçalo do Gurgueia, Corrente e Cristalândia do Piauí

Fonte: CidadeVerde