terça-feira, 20 de junho de 2017

BR-135 registra 35% das mortes em rodovias federais no Piauí

Desnível em trecho da BR-135 pode provocar acidentes
Em entrevista para a Rádio Cidade Verde nesta segunda-feira (19), o superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Piauí, Welendal Tenório, anunciou medidas que a PRF-PI pretende reivindicar para aumentar a fiscalização e reduzir acidentes na BR-135, que registrou a morte de nove pessoas no último fim de semana. Ele alerta que 35% das mortes em rodovias federais no Estado neste ano foram registradas em um trecho de apenas 200 quilômetros, entre Bom Jesus e Cristalândia. Punir motoristas de caminhões que trafeguem fora do horário é uma medida que será levada ao Poder Judiciário. 
A ideia inicial da PRF é cobrar melhorias na estrutura da instituição para melhorar a fiscalização de infrações - uma vez que a imprudência, associada com os problemas da rodovia, contribui para o aumento do número de acidentes. Porém, só o posto de Floriano é responsável por 1.400 quilômetros de rodovias entre o Piauí e o Maranhão, enquanto os inspetores lotados em Bom Jesus cuidam de 400 quilômetros. 
"É uma estrutura incipiente, ela é mais pontual, ela não consegue atender realmente àquilo que a região necessita", disse Tenório, em entrevista ao Acorda Piauí, destacando o crescimento da região economicamente, em especial pela produção de grãos do cerrado. 
Um estudo da PRF-PI defendeu a interdição da rodovia, uma vez que ela não dispõe de acostamento e o piso apresenta desníveis de aproximadamente 20 centímetros, o que provoca o capotamento de veículos que venham a sair da pista - que por sinal é estreita para a passagem de veículos mais largos. Porém, o superintendente teme que liminares na Justiça obriguem a PRF a liberar o trecho assim que ele seja fechado. 
Welendal Tenório informou que a predente discutir com o Poder Judiciário um entendimento da PRF de que veículos pesados, com horários específicos para trafegar pela BR-135, sejam pelados para a Polícia Judiciária em caso de descumprimento da medida. "Nós entendemos juridicamente que se um desses veículos transita fora do horário ele está colocando em risco aqueles outros usuários que estão na rodovia", explicou. 
O que não se pode é esperar de braços cruzados que outra tragédia ocorra. "Esse acidente que ocorreu de forma emblemática é apenas a cópia de um outro acidente que aconteceu a aproximadamente uma semana e vitimou seis pessoas".

Fonte: CidadeVerde