terça-feira, 6 de junho de 2017

Jobson, ex-Botafogo, volta para a prisão por determinação judicial

Jobson
O ex-jogador do Botafogo Jobson foi preso novamente nesta segunda-feira (5) após participar de uma audiência em Colméia a 206 km de Palmas (TO). Jobson responde a um processo judicial pelo crime de estupro de vulnerável. Em junho do ano passado o atleta foi preso, mas ganhou liberdade provisória em setembro do mesmo ano, após o pagamento de uma fiança no valor de R$ 22 mil. Também concordou em cumprir algumas medidas, como não manter contato com as vítimas e não frequentar bares e boates. Jobson é suspeito de estuprar quatro adolescentes. O processo foi instaurado no Pará em 2016, mas enviado para o Tocantins. A Justiça paraense alegou que não poderia julgar o caso já que a chácara onde ocorreram os crimes mais graves (estupro de vulnerável) está localizada em Couto de Magalhães, município tocantinense.
A decisão judicial que concedeu a liberdade provisória estabelecia que o ex-jogador teria que cumprir algumas medidas cautelares, como o pagamento de uma fiança de 25 salários mínimos, não beber e usar quaisquer drogas, nem frequentar bares ou boates; não se ausentar da comarca onde mora sem autorização do juiz e comunicação do local onde possa ser encontrado; estar em casa entre as 19h e às 6h e nos domingos e feriados integralmente.
O jogador foi preso porque descumpriu duas medidas: não sair da comarca onde mora sem autorização judicial e permanecer em casa entre as 19h e às 6h. Há suspeita que ele tenha descumprido uma medida que proibia o uso de bebidas ou uso de qualquer droga. Essa última só será verificada após a conclusão do inquérito policial que investiga o acidente registrado na última sexta-feira (2).
O jogador segue preso em Colméia, interior do Tocantins.
Acidente
Na última sexta-feira (2), Jobson se envolveu em um acidente na TO-080, entre Marianópolis e Divinópolis, na região oeste do Tocantins. O acidente deixou uma pessoa morta e outras quatro feridas, incluindo o atleta. Depois de ser levado para o hospital, no sábado (3), o jogador evadiu do local sem ser avaliado por médico, conforme informou a Secretaria de Saúde do Tocantins (Sesau).
Prisão em 2016
O ex-jogador foi preso em junho do ano passado por cumprimento de mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça de Conceição do Araguaia. O caso começou a ser investigado quando uma das adolescentes, que diz ter sido abusada pelo jogador, procurou a polícia depois que uma foto dela foi parar em um grupo de troca de mensagens na internet. Jobson nega todas as acusações.
Ainda segundo a vítima, o jogador teria aliciado a menor em Conceição do Araguaia junto com outras três adolescentes e teria levado as jovens para a chácara de sua propriedade, localizada na cidade de Couto de Magalhães, oeste do Tocantins. Lá, as vítimas teriam sido embriagadas e entorpecidas para, em seguida, serem abusadas sexualmente.
Jobson é acusado dos crimes estupro de vulnerável, ameaça, disponibilização de fotografia pornográfica de adolescente na internet e oferecimento de bebida alcoólica a adolescente.
Longe dos gramados
Jobson está suspenso pela Fifa de realizar qualquer atividade relacionada ao futebol até 31 de março de 2018. Ele foi acusado pelo clube Al Ittihad, da Arábia Saudita, de se recusar a fazer exame antidoping. Posteriormente, a Fifa deu validade mundial à pena que, de início, foi imposta pela Federação Saudita de Futebol.
A suspensão aconteceu em abril de 2015. Em março, o atleta teve o seu recurso rejeitado pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). Também em março, o atacante foi proibido de atuar em competições amadoras da sua cidade natal.
Fonte: globoesporte.com