segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Piauí tem a maior taxa de feminicídios do Brasil, diz anuário da segurança



O estado do Piauí possui a maior taxa de feminicídios de todo o Brasil, segundo o 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nessa segunda-feira (30), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo a pesquisa, que comparou dados de 2015 e 2016, do total de mulheres mortas no Piauí no ano passado, 57,4% foram vítimas de feminicídio, que é a morte pela condição do sexo feminino.
A pesquisa trouxe apenas dados de 2016 referentes aos feminicídios. Quanto ao total de homicídios femininos, houve uma queda de 2015 para 2016. De 67, o número caiu para 54. Apesar disso, o Piauí lidera no percentual de mortes pela condição do sexo feminino. Enquanto a taxa no estado ultrapassa os 54%, no Brasil é de 11,4%.
Entre os estados, há 10 que não possuem dados sobre feminicídios. Dos que informaram, em segundo lugar fica Alagoas, com uma taxa de 37,2%. Já aquele com menor taxa está o Rio de Janeiro. Do total de crimes contra mulheres, que vitimaram 430, 16 foram vítimas de feminicídio no ano passado.

Feminicídio

O feminicídio é uma qualificadora do homicídio, incluída no código penal em 2015, que leva em conta as condições em que a morte aconteceu. O crime é classficado como feminicídio quando ocorre pela condição do sexo feminino, havendo violência doméstica ou familiar ou ainda menosprezo ou discriminação à condição da mulher.

Fonte: G1 

domingo, 29 de outubro de 2017

Rebanhos voltam a crescer no Nordeste depois da temporada de chuvas

Após enfrentar seis anos consecutivos de seca, os pecuaristas do Nordeste comemoram o início da recuperação dos rebanhos depois da temporada de chuvas registradas este ano, que contribuíram para a formação de pastos e enchimento dos açudes.
Em Pernambuco, por exemplo, o rebanho de bovinos voltou a crescer e passou de 1.6 milhão de cabeças no ano passado para 1,8 milhão este ano. A produção de leite subiu de 1,5 milhão de litros/dia para 1,8 milhão. Já o rebanho de caprinos cresceu de 2,6 milhões para 2,7 milhões de cabeças e o de ovinos passou de 2,7 milhão para 2,8 milhões de animais. No município alagoano de Arapiraca, onde são criadas cerca de 19 mil cabeças de gado, as chuvas combinadas com dias de sol fizeram a pastagem se desenvolver rapidamente deixando os pecuaristas muito animados.
Esses resultados estão deixando o presidente da Sociedade Nordestina dos Criadores (SNC), Emanuel Rocha, muito otimista em relação a 76ª Exposição Nordestina de Animais e Produtos Derivados, que acontecerá de 4 a 12 de novembro, reunindo pecuaristas de vários estados do País, no Parque de Exposições do Cordeiro, no Recife.
Realizado pela SNC, em parceria com a Secretaria de Agricultura de Pernambuco, o evento deve reunir mais de 4 mil animais entre bovinos, equinos, caprinos, ovinos e suínos, além de animais de pequeno porte. A estimativa é de que sejam realizados negócios da ordem de R$ 30 milhões e de que circulem cerca de 200 mil pessoas durante o evento.
Diante a conjuntura favorável, o presidente da Sociedade Nordestina dos Criadores, Emanuel Rocha, está convidando os pecuaristas do Nordeste a participarem da 76ª Exposição Nordestina de Animais. “Esperamos fazer uma grande exposição com uma maciça participação dos criadores”, afirmou.
Este ano, os bovinos que participarem dos julgamentos estarão concorrendo a uma premiação de R$ 60 mil e os caprinos e ovinos disputarão prêmios no valor total de R$ 30 mil. 

Fonte: Portal O Dia

sábado, 28 de outubro de 2017

2ª Feira do Empreendedor de Gilbués atrai bom público e consolida evento

A 2ª Feira do Empreendedor de Gilbués, realizada na noite desta sexta-feira (28), atraiu bom público à Praça Joaquim Nogueira Paranaguá. Houve exposição de diversos produtos a preços promocionais, como roupas, cosméticos, artesanatos, comidas, bebidas e outros. O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de Gilbués, juntamente com a Sala do Empreendedor, Departamento de Cerimonial, Eventos e Comunicação (DCEC), Secretaria de Agricultura e Secretaria de Ação Social do município. A próxima edição está prevista para o próximo dia 10 de novembro.














sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Agespisa deixa grande parte da população de Gilbués há quase 10 dias sem água

Como se não bastasse o calor escaldante acima de 40 graus o gilbueense tá tendo que conviver com o tormento da falta de água nas torneiras, o fato ocorre devido à queima de bombas dos principais poços que abastecem à cidade. O serviço de conserto das bombas é extremamente lento, a população tem que se virar para encontrar água.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Ex-prefeito e esposa são presos acusados de desviar R$ 2,7 milhões em uma semana

Antonio Parambu, ex-prefeito de Prata do Piauí
O ex-prefeito de Prata do Piauí, Antônio Gomes de Sousa, conhecido como Antônio Parambu, de 42 anos, e sua esposa, assim como três sobrinhos do casal, empresários e um membro da comissão de licitação da prefeitura da cidade foram presos na Operação Argentum da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira(26). As investigações apontaram que o ex-gestor seria o líder da organização criminosa, suspeito de ocultar o próprio patrimônio, em nome de parentes, que teriam sido usados como 'laranjas'. 
A operação investigou desvios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) pagos ao município em 2016 em razão de precatórios judiciais. Em uma semana, o ex-gestor teria transferido R$ 2,7 milhões de recursos do Fundeb para a conta de um banco privado.
"A operação foi uma ação integrada da PF. CGU, TCU, TCE-PI. Verificamos uma transferência suspeita da conta do Fundeb do município de Prata para a conta de um banco privado. Em uma semana foram transferidos R$ 2,7 milhões para uma conta do Bradesco de onde foram realizados pagamentos a empresas fantasmas e de fachadas", explica o chefe da Delegacia de Combate a Crimes Organizados da PF no Piauí, Reinaldo Camelo, acrescentando ainda que três empresas eram em nomes de parentes do ex-prefeito criadas com a finalidade de ocultação de patrimônio.
Entre as empresas alvos da operação estão um posto de combustíveis com uma pousada, uma farmácia e uma empresa fantasma. As empresas tinham sede nas cidades de Teresina e Demerval Lobão (ambas no Piauí), além de Independência, Crateús e Tamboril (no Ceará).
"Os bens registrados dessas empresas, por se tratar de lavagem de dinheiro, serão apreendidos e foi determinado o sequestro para fins de restituir o patrimônio da União", ressalta Reinaldo Camelo.
Os recursos foram desviados em dezembro de 2016, ou seja, no fim do mandato de Antônio Parambu (PTC), prefeito no exercício de 2013 a 2016, que tentou reeleição, mas perdeu para Willhelm Barbosa Lima, o Neguim Barbosa (PTN).
Ao todo foram efetuadas dez prisões, até o momento, cinco conduções coercitivas, três ainda estão foragidos. Também foram apreendidos sete veículos.  Os mandados foram cumpridos nas sedes das empresas e residências dos investigados. As ordens judiciais foram deferidas pela 3ª Vara da Justiça Federal de Teresina. 
Os suspeitos estão sendo ouvidos na sede da Polícia Federal e de acordo com o delegado Reinaldo Camelo, eles serão depois encaminhados ao presídio Irmão Guido e penitenciária Feminina.
O patrimônio bloqueado do ex-prefeito ultrapassa R$ 1,5 milhão, de acordo com a PF.
Carros de luxo com dinheiro público
Em coletiva na sede da PF-PI, o delegado disse ainda que entre os bens adquiridos supostamente com recursos públicos desviados da Educação estão dois carros de luxo: um Camaro e uma Land Rover que no total valem cerca R$ 450 mil.
“O ex-prefeito desviou os recursos da Educação e em seguida começou a lavar esse dinheiro por meio de empresas de fachada e fantasmas em nome dos sobrinhos. Isso era feito para ocultar esse patrimônio”, enfatiza o delegado.
Segundo ele, os veículos constavam como bens de uma empresa fastasma, ou seja, que não existe.

Dinheiro do Fundeb seria aplicado na reforma de escolas
A superintendende da Controladoria Geral da União, no Piauí, Érica Lobo, ressalta que a suspeita sobre o desvio de recursos da Educação surgiu durante inspeção do órgão ao município. 
"O dinheiro era para reformar escolas e foi aplicado, no máximo, na pintura nas fachadas, nem sequer foram realizadas nos prédios por completo. Na parte hidráulica e elétrica não foi feito nada", ressalta. 
Érica Lobo frisa que a transferência imediata dos R$ 2,7 milhões também chamou atenção. 
"O dinheiro entrou nos cofres públicos do município em dezembro e em uma semana foi transferido. A despesa pública tem todo um caminho a percorrer, não é como o dinheiro de um particular. No serviço público há estágios da despesa e nenhum desses  foi observado", frisa a superintendente da CGU-PI. 

Atrasos de repasses da Sesapi para saúde nos municípios chega a sete meses

 Florentino Neto, secretário de saúde do Piauí
Diversas prefeituras do Piauí estão enfrentando dificuldades para manter o pagamento dos servidores que atuam nos hospitais municipais, por conta do atraso nos repasses feitos pelo Governo do Estado por meio de convênios. Além disso, também estão atrasados os repasses referentes ao cofinanciamento da atenção básica à saúde.
A informação foi confirmada pelo prefeito de Demerval Lobão, Júnior Carvalho (PMDB), que é presidente da Ampar (Associação de Municípios da Micro-Região do Médio Parnaíba).
Segundo o gestor, no caso da sua cidade o atraso nos repasses já chega a seis meses. "Nós estamos tendo muita dificuldade para pagar os servidores, e só estamos conseguindo graças aos repasses federais. Mas em muitos municípios os salários estão atrasando por conta desse problema", afirmou Júnior Carvalho ao portal O DIA.
O prefeito denuncia que alguns gestores conseguem mais facilmente a liberação das verbas, enquanto outros ficam meses sem os recursos provenientes do estado.
Em Palmeirais os repasses estão suspensos desde março, conforme informou o secretário de Saúde do município, Jânio Cesar.
Já em Beneditinos o atraso vem desde abril, tanto na verba referente ao cofinanciamento quanto nos recursos destinados aos hospitais. A secretária de Saúde do município, Leopoldina Cipriano Feitosa, informa que os atrasos nos repasses feitos pelo Governo do Estado para o setor de saúde dos municípios começaram a ocorrer ainda na gestão do ex-governador Zé Filho, que deixou cinco meses pendentes. Desde então, o Governo do Estado não conseguiu quitar todas as dívidas.
"O financiamento da atenção básica à saúde é tripartite, ou seja, é de responsabilidade dos três entes [União, estados e municípios], mas o Governo do Piauí está com os repasses atrasados. Chegou a negociar esses atrasados mas continua sem conseguir pagar em dia [...] Na verdade, o parcelamento dos atrasados foi um pleito nosso, porque eles vêm desde o governo do Zé Filho. E o que o secretário atual fez foi parcelar o débito. Pelo acordo, a Sesapi deve pagar o mês atual e uma parcela do débito. Só que a secretaria não está conseguindo honrar, por falta de recursos", denuncia Leopoldina Feitosa, que é presidente do Conselho Estadual de Secretários Municipais de Saúde (Cosems).
Sobre a denúncia feita pelo prefeito Júnior Carvalho, de que alguns municípios estariam sendo privilegiados no recebimento dos repasses atrasados, Leopoldina diz que isso ocorria na gestão anterior da Sesapi, mas que não ocorre mais.
Atrasos tiveram início na gestão do ex-governador Zé Filho, que deixou cinco meses pendentes (Foto: Marcela Pachêco / O DIA)
"Alguns municípios eram contemplados, recebiam os atrasados antes dos outros. Mas isso parou de ocorrer na gestão do Florentino Neto. Até o ano passado aconteceu demais. Os municípios que tinham determinados vínculos políticos recebiam esses recursos mais facilmente", detalha Leopoldina.
Leopoldina diz, ainda, que vários municípios estão tendo que bancar os salários dos funcionários dos hospitais praticamente sozinhos, e acrescenta que os secretários de Saúde têm cobrado de forma permanente uma solução para o problema.
"Vários municípios estão parando os serviços, atrasando o pagamento de funcionários, porque não têm como manter mais. O Governo Federal também tem repassado menos do que deveria, e é comum atrasar. Quem está assumindo o pagamento dos funcionários são as prefeituras. Em Demerval Lobão a prefeitura assume esse compromisso há cinco anos. Em Beneditinos nós estamos com nove anos que o município vem assumindo os salários, porque se for depender do Governo do Estado e do Governo Federal os funcionários passam fome", conclui a secretária.
Sesapi diz que parte dos municípios estão com repasses atrasados por estarem irregulares
Por meio de nota, a Secretaria de Saúde do Piauí admitiu que precisou negociar o pagamento dos repasses atrasados, que foram parcelados em dez vezes. No entanto, a pasta esclarece que muitos municípios estão sem receber os recursos por conta de pendências das prefeituras, como a ausência de prestação de contas dos valores recebidos ou mesmo pela falta de uma conta específica para o recebimento das verbas.
A Sesapi garante que basta esses municípios regularizarem suas situações para que recebam os valores devidos.
Confira a nota divulgada pela Sesapi:
Por conta da situação financeira do Estado no ano passado, o Governo teve que negociar o pagamento dos repasses referentes ao cofinanciamento da Atenção Básica, que foi programado em 10 vezes. Atualmente, apenas 88 municípios estão recebendo os repasses regularmente, já que estes atendem ao que rege a legislação. “No ano passado o governo teve atrasos nesses repasses por conta da situação financeira. Então, a Secretaria parcelou o valor dos atrasos em 10 parcelas, das quais cinco já foram disponibilizadas para os municípios. Também em relação a 2017 já foi realizado o 4º repasse do cofinanciamento e programado o 5º repasse e, consequentemente, a 6ª parcela do parcelamento”, disse o secretário Florentino Neto.
No entanto, ainda segundo o secretário, “temos municípios que não estão aptos a receberem os recursos ou por inadimplência em prestar contas dos valores recebidos ou em razão de possuírem apenas conta do próprio município, aberta na rede bancária com o CNPJ do município. E existe uma exigência hoje, do Ministério da Saúde, que a conta tem que ser do Fundo Municipal de Saúde com CNPJ específico do fundo”.
Atualmente, 88 municípios já receberam seus repasses por estarem adimplentes e com a conta específica do fundo resolvida. A Secretaria de Estado da Saúde sensibiliza os municípios para que possam receber esses recursos do cofinanciamento disponíveis para eles, bastando regularizar a sua situação.

Fonte: Portal O Dia

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Incêndio na região da Serra da Capivara destruiu 1.300 hectares, diz ICMBio

O incêndio que atingiu o entorno do Parque Nacional da Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, destruiu uma área de aproximadamente 1.300 hectares. A informação é do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela unidade de conservação. Se tivesse sido no perímetro do parque, o fogo teria devastado 10% do seu território, que chega a 130 mil hectares.
Fotos aéreas divulgadas pela prefeitura de São Raimundo Nonato mostram o rastro de destruição deixados pelas chamas. O Baixão das Andorinhas foi a região mais afetada. “Ainda estamos concluindo o levantamento, mas já podemos dizer que 1.300 hectares fora atingidos fora do parque”, informa a  a coordenadora Regional do ICMBio, Ana Célia Coelho.
Segundo a coordenadora, o fogo que teve início no domingo já foi totalmente debelado. Na tarde de ontem, a equipe da Força Tática do Maranhão sobrevoo a região e não encontrou mais focos de incêndio, nem mesmo fumaça.
Uma equipe de 40 brigadistas trabalhou para debelar os focos de incêndio. Duas aeronaves, sendo uma do Maranhão, ajudaram no combate às chamas. 

Fonte: CidadeVerde

Prefeitura de Gilbués realizará 2ª Feira do Empreendedor na próxima sexta-feira (27)

A Prefeitura Municipal de Gilbués, realizará na próxima sexta-feira (27), na Praça Joaquim Nogueira Paranaguá, a partir das 17:00h, a 2ª Feira do Empreendedor, onde diversos feirantes estarão oferecendo a preços promocionais: roupas, cosméticos, artesanatos, verduras, comidas e muito mais. a realização da feira terá o apoio da Sala do Empreendedor, Departamento de Cerimonial, Eventos e comunicação (DCEC), Secretaria de Agricultura e Secretaria de Ação Social. Demais informações procurar o Sr. Marcos na Sala do Empreendedor na cidade de Gilbués.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Receita Federal pode bloquear FPM de 41 municípios do Piauí

41 municípios do Piauí podem ter o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) bloqueados pela Receita Federal, caso não declarem compensações indevidas e regularizem os débitos previdenciários até o próximo dia 31 de outubro. A Receita verificou que os municípios estavam pagando débitos da Previdência com recursos que não estão amparados como créditos e por isso as contas não estão sendo quitadas. 
De acordo com a Delegacia da Receita Federam em Teresina, a adesão deve ser feita ao Programa de Regularização de Débitos Previdenciários de Estados e Municípios – PREM, porque a partir do dia 1º de novembro/2017, ocorrerão os bloqueios ao FPM.
Uma operação iniciada em julho detectou que os municípios estavam utilizando créditos inexistentes para ou não comprovados na quitação dos débitos previdenciários devidos. Até o momento, foram autuados 41 municípios, envolvendo 68 órgãos, num total levantado de R$ 76,5 milhões em valores atualizados.
“O bloqueio do FPM será feito naqueles entes municipais que tiveram lavrados contra si valores devidos e não pagos à previdência social em razão de compensações de créditos indevidamente declaradas ao órgão”, destacou o delegado da Receita Federal, Eudimar Alves Ferreira.  
De acordo com o delegado da Receita, este bloqueio faz parte de medidas legais que passarão a ser adotadas a partir de novembro de 2017 em relação aos municípios que não se regularizarem.
“Ainda pode incluir ainda representações ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para responsabilização de gestores e encaminhamentos ao Ministério Público Federal para fins de investigação de possível crime contra a previdência social e a ordem tributária. Além dos débitos das contribuições previdenciárias não pagas podem ser lançadas multas isoladas por caracterização de falsidade de declaração”, acrescentou.

Fonte: Cidade Verde

CNBB lança 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí

O Regional Nordeste IV da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizará  nesta terça-feira (24) o  lançamento da 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí em Teresina.
A solenidade será no Auditório Paulo VI, localizado na av.Frei Serafim, 3200, às 09:00 e contará com a presença de representantes da Igreja Católica e dos poderes públicos municipal e estadual, além de membros da sociedade civil, Ministério Público, Defensoria Pública e outras entidades que lutam pela preservação de direitos humanos.
Com o tema: “Defender a natureza e o Direito dos Pobres” e o lema: “Para que todos tenham vida”(Jo 10, 10), a 14ª Romaria da Terra e da Água do Piauí acontecerá em 2018 e terá como sede a cidade de Paulistana, diocese de Picos – PI. A iniciativa tem como objetivo evidenciar o clamor do povo por vida digna e lutar pela preservação da terra e da água como dons de Deus, essenciais à vida de todos.
A manifestação popular acontece há 14 anos no Piauí e tem o apoio de entidades como o Fórum de Convivência com o Semiárido, Pastorais Sociais
pertencentes ao regional NE 4 CNBB, Federação dos Trabalhadores em Agricultura (Fetag), Obra Kolping, Comissão Pastoral da Terra (CPT), Cáritas e
Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Fonte: CidadeVerde

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Sem delegacia, população percorre mais de 100km para registrar BO no Piauí

A equipe da TV Clube percorreu todo o Piauí para mostrar a situação da segurança pública no estado. Na região Sul, a repórter Neyara Pinheiro encontrou delegados responsáveis por mais de 10 cidades, o que dificulta as investigações e a assistência à população. Há municípios em que os moradores precisam viajar mais de 100 km para registrar um boletim de ocorrência.
As terras de seu Eurico estão sendo invadidas, há quase um ano ele percorre quase 103 km, uma parte por estrada de terra, debaixo do sol escaldante do Piauí para denunciar o caso. Ele pedala uma longa distância e depois pega uma van com destino à delegacia de Paulistana, cidade onde fica o distrito mais próximo. "É sofrimento. Tem muita poeira porque no local não tem nada que preste", lamentou o agricultor.
A viagem da professora Rita Rodrigues até uma delegacia também é longa. Ela percorre 150 km de Baixa Grande do Ribeiro até a cidade de Uruçuí, para denunciar o ex-marido que não está cumprindo a medida protetiva que lhe obriga a ficar afastado dela.
"Eu poderia resolver isso na cidade, mas tem que fazer esta viagem. Aí a gente acaba desistindo de denunciar. Eu tenho medo porque até conseguir chegar aqui é uma longa viagem", declarou.
O Piauí tem 195 delegados, apenas 68 delegados para dar conta de 223 cidades do interior. Ramon Cavalcante é um recordista. Ele tinha a missão de cuidar de 13 cidades com uma população de mais de 100 mil habitantes. "Infelizmente, eu consigo visitar somente quatro cidades", diz o delegado.
Em protesto, Ramom e mais 19 colegas entregaram o cargo de delegados regionais. Agora, eles só viajam em algumas exceções. A entrega coletiva das funções deixou uma centena de cidades sem delegados e deixou cerca de 700 pessoas desassistidas.
"Quando há um homicídio ou estupro a gente tem que se deslocar para poder fazer a cena do crime. E quando isso acontece fechamos as portas da delegacia para irmos para outra localidade porque não tem condições de eu ir sozinho investigar estes crimes graves e ao mesmo tempo não posso deixar uma pessoa sozinha no distrito. Isso é comum porque o efetivo é pouco. Não temos condições de fazer uma investigação digna contando apenas com três agentes e um escrivão".
Luciano Santana era o titular da delegacia de Simplício Mendes. Ele sozinho respondia por 10 cidades com uma população de quase 60 mil pessoas e para isso o estado só forneceu três agentes de campo. "Eu não conheço todas as cidades. Até porque estes municípios ficam distantes de Simplício Mendes. E não tenho condições de percorrer todas estas cidades. Além disso, não há combustível para fazer este trabalho. O estado não fornece combustível suficiente para fazer estas viagens. É um trabalho que não conseguimos dar conta", ressaltou o delegado.
"Infelizmente o delegado se vê obrigado a fazer uma triagem como se fosse um pronto socorro para decidir qual situação entre vida e morte vai investigar. É uma situação de caos total, de desassistência total que o Estado não provê os meios e a gente não tem condições de prestar o serviço à população", afirmou Andréa Magalhães, presidente do Sindicato dos Delegados do Piauí.
O último anuário de Segurança pública apontou o estado como o que menos investigou em segurança pública no país. Em 2014, o investimento por pessoa foi apenas de R$18,48. Em 2015, os recursos até aumentaram, foram para R$ 71,36. Contudo, estados como o Acre, por exemplo, investiram mais de R$ 500 por habitante.
"A situação é de penúria e isso favorece ao crime porque acontece quando há oportunidade. Hoje, toda a população do estado do Piauí está vulnerável”, afirmou Andréa Magalhães, presidente do Sindicato dos Delegados do Piauí (Sindepol).
Na cidade de Guaribas não há delegacia, a cidade tem apenas um policial militar para fazer a segurança do município do interior que possui 4.489 habitantes.
O agricultor Carlizé teria que viajar 138 km em estrada de chão para registrar um boletim de ocorrência e sem transporte, o agricultor desistiu de acionar a polícia. Ele levou uma vida para juntar R$ 5.450 mil que estavam guardado para comprar uma moto. Até que bandidos armados invadiram a casa dele e roubaram tudo.
E quando não falta delegado, falta delegacia. Há seis meses, Diego Pascoal foi nomeado delegado de Baixa Grande do Ribeiro e Ribeiro Gonçalves, no Sul do Piauí. A região é produtora de soja, mas na hora de assumir o cargo descobriu que em nenhuma das duas cidades havia uma delegacia. Ele era um delegado sem teto.
"A minha estrutura de trabalho é nenhuma. Eu não tenho prédio, computadores e nenhuma estrutura para receber a população. Eu tenho apenas auxílio de um agente de polícia e de um escrivão".
Para trabalhar, o delegado de Uruçuí emprestou uma sala para Diego Pascoal que divide o ambiente com outro colega que também foi nomeado e não teve estrutura.Os dois novos delegados também não possuem carro.
"Quando eles saem na viatura, a gente fica sem carro. A cota de combustível também é a mesma para todos. Tanto que no final do mês haverá um racionamento para a gente não esgotar a cota de combustível. Algumas demandas deixam de ser atendidas", lamentou o delegado Célio Benício.
O delegado geral, Riedel Batista, explicou como é feita a distribuição de delegados e escrivão. Ele explica que em toda cidade onde há juiz e promotor conta também com delegado.
"O efetivo de 3.400 policias civis seria o ideial, esse aumento 100% previsto em lei. Atualmente temos 1.700 agentes e vamos realizar um concurso para diminuir esta diferença e aumentar quantidade de delegado e escrivão ao longo de 2018.

Fonte: G1

Prefeitos se reúnem com bancada federal para cobrar recursos

Reivindicar maior aporte financeiro, a extensão do prazo para pagamentos de precatórios e cobrar a redistribuição de valores do pacto federativo para os municípios são as principais solicitações dos prefeitos do Piauí à bancada federal do Estado, em reunião que acontece nesta segunda-feira (23) na Associação Piauiense de Municípios (APPM). 
O vice-presidente da Associação, prefeito Jonas Moura, esclareceu que as reivindicações dizem respeito às própria pauta municipalista. Ele adiantou que os prefeitos estão pedindo os recursos que deveriam receber. "São cerca de R$ 4 bilhões a que temos direito, que deveriam ser repassados pelos mesmos critérios do FPM", explicou. 
Além disso, ele conta que outro anseio, de cerca de 88 municípios, que ainda tem precatórios a pagar, é conseguir com o governo federal através da ajuda dos deputados, que esse prazo seja estendido de 2020 para 2025. 
"Queremos alterar a regra do prazo para as prefeituras que ainda têm precatórios para pagar, de 2020 para 2025, porque isso diminuiria as despesas correntes e ajudaria a diminuir a dificuldade das cidades que sofrem com a queda de repasses", destacou Jonas Moura.
A redistribuição do pacto federativo, ainda de acordo com o vice-presidente, é outro pedido que fazem aos deputados e senadores do Piauí. "Vamos solicitar o compromisso dos deputados para que eles lutem por essa redistribuição de recursos".  
Confirmaram presença 204 dos 224 prefeitos do Estado. O presidente da APPM, Gil Carlos, está presidindo a reunião, os deputados federais Marcelo Castro (PMDB) e Paes Landim (PTB) já chegaram ao local. A expectativa que pelo menos oito dos dez parlamentares da Câmara Federal compareçam. 

Fonte: CidadeVerde

domingo, 22 de outubro de 2017

Pedofilia: Piauí investiga suspeitos na operação Luz da Infância

Registro das buscas feitas em Santa Catarina; suspeitos compartilhavam pedofilia pela internet (foto: MJ)

O Piauí ainda investiga suspeitos de pedofilia dentro da operação Luz da Infância, deflagrada ontem (20) pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e Segurança Pública (Senasp/MJSP), em parceria com as polícias civis e a Embaixada dos Estados Unidos.
A operação prendeu 108 pessoas em 24 estados e no Distrito Federal. Somente Piauí e Amapá ficaram de fora. O ministro da Justiça, Torquato Jardim, explicou que os dois estados não conseguiram concluir as investigações a tempo de que fossem emitidos os mandados judiciais, mas devem fazê-lo em breve. 
Ao Cidadeverde.com, o deputado federal Fábio Abreu (PTB-PI), que deixou a secretaria de Segurança Pública para reassumir o mandato temporariamente, se limitou a confirmar que o Piauí ainda irá deflagrar sua operação - que segue em sigilo. O gestor voltou à Brasília (DF) nesta semana para destinar emendas parlamentares e deve retornar ao cargo de secretário na próxima quinta-feira (26).  
Foto: MJ
Em todo o país, a operação Luz da Infância cumpriu 157 mandados de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais. As pessoas presar foram suspeitas de produzir, guardar ou compartilhar conteúdos de pedofilia na internet, tudo descoberto com a ajuda de tecnologia e arquivos fornecidos pelos Estados Unidos e após seis meses de investigação. 
A ação envolveu mais de mil policiais e é considerada uma das maiores do mundo. Foram realizadas prisões em São Paulo (25), Rio Grande do Sul (9), Minas Gerais (9), Goiás (9), Bahia (8), Paraná (6), Distrito Federal (6), Pará (6), Rondônia (4), Sergipe (4), Santa Catarina (3), Tocantins (3), Amazonas (2), Pernambuco (2), Ceará (2), Maranhão (2), Mato Grosso do Sul (2), Rio de Janeiro (2), Rio Grande do Norte (1), Espírito Santo (1), Acre (1) e Paraíba (1). Em Alagoas, Mato Grosso e Roraima foram cumpridos mandados. 

Fonte: CidadeVerde

sábado, 21 de outubro de 2017

Empresários dizem que governo atrasa pagamento de 70% das empreiteiras

Arthur Feitosa, presidente da Associação Piauiense de Empresários de Obras Públicas 
O presidente da Associação Piauiense de Empresários de Obras Públicas (Apeop-PI), Arthur Feitosa, afirmou nesta sexta-feira (20) que o governo do Estado atrasa os repasses de cerca de 70% das empresas da construção civil que prestam serviços em obras públicas. “Há caso em que o empresário entregou 100% da obra e recebeu apenas 30 ou 40% pelo serviço. Hoje, no caso da Associação, a gente reúne 78 empresas no Piauí, entre pequenas, médias e grandes empresas. Dessas, eu creio que em torno de 70% das empresas tem atraso de pagamento por parte do governo”, declarou o presidente.
Em entrevista ao Jornal do Piauí, Arthur Feitosa falou que a maior preocupação da categoria é que, em função do cancelamento dos empenhos, as empresas fiquem sem receber pelos contratos de obras públicas. O decreto do executivo estadual que prevê a suspensão do pagamento de serviços que não foram empenhados a partir do dia 16 de outubro tem gerado reações dos empresários do setor que tem contratos com o governo.
A categoria teme que o governo não faça os repasses às empreiteiras para que elas possam realizar as obras. Além disso, os empresários ficam receosos com a possibilidade iminente de não poderem honrar com os compromissos essenciais à sobrevivência financeira da empresa, tais como pagamentos de folha, de mão de obra e de manutenção.
De acordo com o presidente, as empreitieiras só recebem o pagamento pela realização das obras após terem realizado parte do serviço e o cancelamento dos empenhos pode dificultar ainda mais a situação das empresas. 
“Já temos essa dificuldade há algum tempo. [...] A preocupação maior é porque o decreto diz que serão cancelados os serviço que não foram prestados ainda. No caso da construção civil, isso não corresponde  bem a realidade, porque a construção civil presta o serviço para o Estado, ela financia a obra para depois receber, ou seja, depois que assino contrato com qualquer órgão do governo e é dada a ordem e eu inicio a ordem, quando eu atingo X% do cronograma físico financeiro, eu solicito ao setor competente para fazer uma fiscalização e depois de emitido um atestado de medição. Após isso é que vai para o financeiro e gente recebe o repasse do governo”, explicou o presidente.  

Fonte: CidadeVerde

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Piauí avança 48% e lidera crescimento na geração de energia no país

Dados inéditos do Boletim InfoMercado, da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgado nesta semana, apontam um salto na produção de energia eólica em operação comercial de 25,7% entre janeiro e agosto de 2017. Quanto ao Piauí, o indicativo é ainda mais positivo, o Estado lidera o crescimento nacional, atingindo aumento de 48% frente a geração alcançada na matriz no mesmo período do ano passado.
Com o avanço de quase 50%, o Piauí mantém a quinta colocação nacional na produção de energia eólica e se aproxima do Ceará e Rio Grande do Sul. Ao todo, o Estado teve 443,6 MW médios nos oito primeiros meses deste ano.
Em âmbito nacional, a produção chegou a 4.032 MW médios ante 3.208 MW médios gerados no mesmo período de 2016; o que mostra um ganho de espaço da fonte no mercado, de modo que a fonte eólica alcançou 6,5% do Sistema Interligado Nacional (SIN), atrás das hidrelétricas (com 73,8% do total) e térmicas, com 19,7%.
A previsão é que o Piauí possa crescer ainda mais nos próximos anos, haja vista as usinas em processo de instalação e os projetos prospectados no setor, com um novo leilão de energia previsto para dezembro, o Chefe do Poder Executivo aponta que pelo menos metade dos projetos tem como foco o Piauí.
O Piauí aposta nas energias renováveis para o desenvolvimento, englobando não apenas a fonte eólica, como também a solar. O desejo do Executivo é produzir 6 GW até o ano de 2022. "A perspectiva é que a integração de energia eólica e solar, com pequenos, médio e grande, com a rede de conexão que temos, permita algo como 20 gigawatts, que é duas vezes o que o Brasil produz hoje. É claro que isso leva tempo, mas o que está programado, já com investimentos em andamento, vai nos levar aos seis gigas por volta de 2022. Estou bastante animado e confiante de que a energia limpa é o caminho para o Brasil", indicou recentemente o governador Wellington Dias.

//Capacidade instalada é 62,5% maior.

Os dados do Boletim InfoMercado da CCEE indicam para novas conquistas no setor de energias renováveis no Piauí ao longo dos próximos anos, isto porque além de liderar o crescimento na geração eólica, o Estado também obteve a maior evolução na capacidade instalada em comparação aos entes que estão entre os maiores produtores. A elevação na comparação com o mesmo período de 2016 (de janeiro a agosto) é de 62,5%. Assim, em 2017 o Estado já alcança 1.325,5 MW de capacidade instalada.
A liberação para a operação de usinas também vem beneficiando efetivamente o Piauí, nesta semana, por exemplo, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) concedeu autorização a Usina Eólica Ventos de São Vicente 08, englobando duas unidades, totalizando mais de 14,7 mil kW de capacidade instalada. O empreendimento está localizado no município de Curral Novo e inclusive, consta no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Além dessa transação, a agência autorizou o início da operação em teste de duas unidades geradoras da Usina Ventos de São Vicente 10, totalizando 29,4 mil kW de capacidade instalada.

Fonte:  MeioNorte

Prefeitura de Gilbués realiza 1ª Feira do Empreendedor

A Prefeitura de Gilbués juntamente com a Sala do Empreendedor e do Departamento de Cerimonial, Eventos e comunicação (DCEC), realizou a 1ª Feira do Empreendedor de Gilbués. O evento aconteceu no dia 19 de outubro, na Praça Joaquim Nogueira Paranaguá, com a parceria do SEBRAE e Banco do Nordeste. A feira oportunizou aos empreendedores de diversos segmentos, divulgar e comercializar produtos e serviços nas suas respectivas produções. No evento foram comercializados produtos como: artesanatos, verduras,  comidas típicas e outros produtos. a programação contou ainda com atração musical. Segundo o prefeito Leo Matos, o gestor tem o papel de propor e atrair projetos que permitam a geração de novas oportunidades na economia, contribuindo para a promoção de ambiente favorável ao desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios. "Neste momento de crise econômica que afetou os setores produtivos é muito importante promover ações conjuntas com parceiros públicos e privados oferecendo condições para que os pequenos empreendedores possam divulgar e comercializar seus produtos". A 2ª Feira do Empreendedor de Gilbués, está agendada para o próximo dia 27 de outubro, sexta, a partir das 18:00h no mesmo local.