quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Volume de chuvas registrado no Piauí é o maior em nove anos


A incidência de chuvas em todo o Piauí está sendo considerada atípica até mesmo pelos especialistas em previsão do tempo. Em todo o estado, os meses de janeiro e fevereiro registraram um volume de chuvas acima do esperado para esse período. Segundo os meteorologistas, a previsão é de que durante o mês de março hajam novos temporais em toda a região Norte do Estado, incluindo a capital.
Segundo levantamento feito pela meteorologista da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), Sônia Feitosa, o volume de chuvas no Piauí em 2018 é o maior registrado nos últimos nove anos. Com pancadas de chuva quase todos os dias, o início do ano registrou temporais e até tempestades em alguns municípios do Estado. Em algumas cidades, como Santana do Piauí, Santa Cruz do Piauí e Campo Maior, as tempestades vieram acompanhadas de muito vento e até chuva de granizo.
Volume de chuvas deve aumentar no mês de março, diz especialista. (Foto: Arquivo/O Dia)
Para a meteorologista Sônia Feitosa, as chuvas devem se intensificar a partir de amanhã (1º) em toda a capital, com temperaturas mínimas variando entre 23º C e 25º C. “Março é o mês que mais chove na capital, com chuvas acima da média. O tempo deve continuar abafado, mas com temperaturas mais amenas”, explica. A expectativa é de que em todo o Norte do Estado as chuvas fiquem mais frequentes. Já no Sul do Piauí, as pancadas de chuva devem diminuir.
A meteorologista explica que aumento das chuvas nesse período é ocasionado pela Zona de Convergência Intertropical. “É uma faixa de nebulosidade na Linha do Equador, quando ela está bem perto da gente, as chuvas aumentam”, explica a pesquisadora. 
Nos últimos dias, os temporais que caíram sobre a capital deixaram um rastro de destruição, com casas destruídas, pontos de alagamentos em vários bairros e até desabamento de um trecho da BR-343. Para diminuir os transtornos, a Defesa Civil Municipal intensificou as ações de monitoramento e atendimento às zonas da cidade com as situações mais graves e que podem apresentar risco aos moradores.


Fonte: Portal O Dia