quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Mais um suspeito de explodir caixa eletrônico em Floriano é morto em confronto com a polícia


Mais um suspeito de explodir um caixa eletrônico em Floriano, no Sul do Piauí, foi morto durante confronto com policiais na tarde desta terça-feira (30). Segundo o comandante da Polícia Militar da cidade, coronel Inaldo, outros dois participantes da ação morreram em troca de tiros pela manhã e um continua foragido.
Um grupo formado por quatro homens chegaram no posto de combustível em Floriano, por volta das 4h, e renderam um funcionário do estabelecimento.Logo depois, os criminosos fugiram levando o dinheiro do terminal bancário.
De acordo com a Polícia Militar, o primeiro confronto com os bandidos aconteceu no povoado Pequi, próximo da cidade de Floriano. Dois suspeitos morreram e os outros conseguiram escapar se escondendo na mata.
"Recebemos a informação de que um deles estaria no povoado Aeroporto, zona rural de Floriano. Lá é uma área isolada, cheia de mato, de difícil acesso e com muitas montanhas. Por volta das 16h, os policiais conseguiram localizar um dos criminosos, que atirou contra a equipe", informou o comandante.
Na troca de tiros, o terceiro integrante do grupo morreu. A polícia continua em diligência para capturar o quarto suspeito. O caso é investigado pela delegacia da cidade.

Fonte: G1 PI

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

“É momento de aceitar a escolha da maioria”, diz cientista político


Segundo especialistas, as eleições de 2018 foram as mais movimentadas e intensas dos últimos anos e contando com a participação e interação de um grande número de eleitores. Essa interação também gerou muita comoção e reações, seja de temor, ansiedade, medo e até agressividade diante dos discursos que estavam sendo apresentados pelos presidenciáveis. Mas, será que é possível a população voltar à sua rotina sem que esses transtornos interfiram no seu dia a dia?
O professor e cientista político Ricardo Alaggio pontua que, dificilmente, as pessoas voltarão à normalidade nos próximos quatro anos. De acordo com o especialista, o País está polarizado desde 2014, quando na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff a economia do Brasil ficou abalada, assim como as denúncias de Lava Jato e o não cumprimento das promessas feitas durante a sua campanha eleitoral.
“A partir daí vimos o crescimento dessa polarização de oposição ao PT, o que levou ao impeachment em 2016, avançando ainda mais nos anos seguintes. Hoje, vemos que o antipetismo é a principal força política no momento, aquele discurso contra a esquerda e isso tende a perdurar por mais algum tempos. Nunca vimos tanta mobilização como antes. Muitas pessoas falaram que iriam anular o votou ou se abster, mas pudemos observar que foi diferente e muitos foram às urnas”, explica o cientista político.
Com relação às reações que foram percebidas, contra e a favor dos candidatos que concorreram ao cargo de presidente, Ricardo Alaggio destaca que ainda permanecerá por mais alguns meses e cita as eleições dos Estados Unidos como referência. Segundo ele, pesquisas apontam que, após três meses do pleito que elegeu Donald Trump, muitas pessoas desenvolveram algum tipo de transtorno e precisam buscar ajuda de especialista.
“Isso vai demorar, mas esses transtornos vão esmaecer, assim como ocorreu nos Estados Unidos. Os médicos detectaram estresse, mas pessoas três meses depois, mas isso é algo que tende a acalmar. Já a luta política não vai acalmar, uma vez que são candidatos com ideias contrárias e que não vão chegar a um consenso, mas os eleitores tentem a diminuir com esse revés”, cita.
Ele enfatiza que as pessoas se envolveram de forma muito intensa e isso acaba gerando um sentimento muito expressivo quando seu candidato ganha ou perde. Para o cientista político, a população irá sofrer com o resultado, seja ele qual for sobretudo por conta das propostas que foram apresentadas e que geraram certa comoção nos eleitores, especialmente a minoria.
“Vivemos em uma democracia, então precisamos evitar a polarização. Se elegeram esse candidato é porque a maioria quis, então, cabe aos que não votaram neste candidato aceitar, tentar lidar da melhor forma e lutar para que os seus ideais e propostas possam vir a ser realizados nos próximos quatro anos. Isso é a democracia, é a aceitação do outro”, finaliza.
Por: Isabela Lopes - Jornal O DIA

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

A pedido do STF, TCE vai fazer levantamento de obras inacabadas no Piauí


O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), Olavo Rebelo, anunciou nesta quinta-feira (25) que o tribunal vai fazer um levantamento de obras paradas no Piauí. O órgão vai atender a uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU). O assunto foi discutido na manhã de hoje em reunião com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffol, e todos os presidentes de TCEs.
" A preocupação é com as obras inacabadas  no país. São 40 mil contratos de obras, sendo que 14 mil estão com problemas de inadequação, ambientais, todo tipo de problema. O TCE quer que a gente faça um diagnóstico e apresente  soluções para destravar esse problema das obras inacabadas no país", disse o presidente do TCE em entrevista à TV Cidade Verde.
"Se for corrupção que se puna, se não, se for inadequação e falta de projeto, que se corrija e parta para solucionar", acrescentou Olavo.
Participaram da reunião o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Raimundo Carrero, e ainda os ministros da Defesa, Raul Jungmann, e da Educação, Rossieli Soares. 
Levantamento preliminar do TCU aponta 39.894 contratos de obras federais em todo o país, sendo que 14.403 se encontram hoje inacabadas ou estão paralisadas. São obras estruturantes, como pontes, estradas e viadutos, e de serviços públicos essenciais como Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), escolas, creches, dentre outros. 
No encontro, o ministro da Educação informou que existem hoje 1.160 obras paralisadas só na área de educação. Segundo o TCU, há muitas obras irregulares e inadequadas, mas as principais causas da paralisação são o abandono pelas empresas construtoras, questões ambientais, projetos desatualizados ou inadequados, pendências legais, dentre outros. 

Fonte: CidadeVerde

Piauí inicia a construção do maior parque solar da América do Sul em São Gonçalo do Gurgueia


A subsidiária brasileira de energia renovável do Grupo Enel, Enel Green Power Brasil Participações Ltda. (“EGPB”), iniciou a construção do parque solar São Gonçalo, de 475 MW, em São Gonçalo do Gurguéia, no Estado do Piauí. São Gonçalo é a maior planta solar fotovoltaica atualmente em construção na América do Sul e deve entrar em operação em 2020. O Grupo Enel vai investir cerca de R$ 1,4 bilhão na construção da planta solar, o equivalente a aproximadamente 390 milhões de dólares.
“O início da construção desta planta fotovoltaica fortalece a nossa liderança no setor brasileiro de energias renováveis e confirma mais uma vez a importância que damos ao desenvolvimento da energia solar no país”, afirma Antonio Cammisecra, Responsável da Enel Green Power, linha global de negócios de energias renováveis do Grupo Enel. “São Gonçalo vai contribuir para a diversificação e a resiliência da matriz energética do país, respaldando um ciclo econômico virtuoso por meio do fornecimento de energia sustentável no longo prazo.”
Quando estiver em plena operação, a planta será capaz de gerar mais de 1.200 GWh por ano e evitará a emissão de mais de 600 mil toneladas de CO2 na atmosfera. Da capacidade instalada total de 475 MW, 388 MW foram conquistados pelo Grupo Enel no leilão brasileiro A-4, em dezembro de 2017, e estão apoiados por contratos de fornecimento de energia de 20 anos para um pool de distribuidoras que operam no mercado regulado. Os 87 MW restantes vão gerar energia para o mercado livre.
No Brasil, o Grupo Enel, por meio de suas subsidiárias EGPB e Enel Brasil, possui uma capacidade instalada total de renováveis de mais de 2,9 GW, dos quais 842 MW de energia eólica, 820 MW de energia solar fotovoltaica e 1.269 MW de energia hídrica. Além disso, a EGPB tem mais de 1 GW em execução no Brasil, conquistados nos leilões de 2017.
A Enel Green Power, linha de negócios de Energia Renovável do Grupo Enel, dedica-se ao desenvolvimento e operação de energias renováveis em todo o mundo, com presença na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania. A Enel Green Power é líder global no setor de energia verde com uma capacidade gerenciada de cerca de 43 GW em um mix de geração que inclui eólica, solar, geotérmica e hidrelétrica, e está na vanguarda da integração de tecnologias inovadoras em usinas renováveis.
Fonte: CicloVivo

Temer cede a Bolsonaro e recua de indicações para Caixa e agências


BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Emissários de Jair Bolsonaro (PSL) pressionaram o presidente Michel Temer e ele decidiu congelar as nomeações de quatro vice-presidentes da Caixa Econômica Federal. O candidato quer ele próprio chancelar, se eleito, os nomes para postos-chave do governo que estão em aberto.

Temer também recuou de nomeações para cargos de direção em agências reguladoras, após tratativas com representantes de Bolsonaro. O gesto de Temer para o presidenciável mira compensações no futuro, como a permanência de aliados em alguns cargos e a manutenção de programas da atual gestão.

Segundo integrantes do governo e da campanha de Bolsonaro ouvidos pela reportagem, o presidente pretendia rever os nomes selecionados pela Caixa e distribuir cargos de comando nas agências reguladoras para ministros. No entanto, Bolsonaro fez chegar a ele sua insatisfação.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), disse à reportagem que o governo avaliou que, a dois meses do fim do mandato de Temer, não é momento de fazer alterações em cargos permanentes.

"Ao fim de governo, é ideal que não tenha esse tipo de modificação. Não é hora de fazer mudança. Que o próximo presidente faça essas alterações", afirmou.

Ele negou, contudo, que tenha conversado com aliados de Bolsonaro. A decisão de Temer afeta as novas regras de gestão da Caixa, criadas com o objetivo de blindar o banco de aparelhamento político e esquemas de corrupção. Após desvios apurados nas Operações Sépsis, Cui Bono? e Greenfield, a instituição aprovou novo estatuto.
As regras preveem a seleção de dirigentes por meio de recrutamento no mercado, seguindo critérios de competência e sem a interferência de partidos. Os ocupantes dos cargos têm de se enquadrar no perfil da Lei da Ficha Limpa.

Pela regra, cabe ao Conselho de Administração da Caixa, e não ao presidente da República, decidir quem exercerá as vice-presidências, com base nos resultados do concurso. Porém, a prerrogativa de nomeá-los é do presidente.

A Caixa enviou neste mês à Presidência a lista dos executivos selecionados para as vices de Habitação, Governo, Corporativa e de Fundos de Governo e Loterias.

As três últimas estão sob o comando de interinos desde o início do ano, quando Temer teve de afastar os titulares por causa de suspeitas de envolvimento em corrupção. A medida foi tomada após pedidos do MPF (Ministério Público Federal) e do Banco Central.

Coube a Marun informar à Caixa que as nomeações não vão sair neste governo. O aviso foi dado diretamente ao ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, a quem o banco está subordinado.

A decisão de suspender as nomeações frustrou integrantes da equipe econômica, que almejam pôr em prática as novas regras de governança da Caixa.

Agora, teme-se que, após o oneroso processo de recrutamento, que envolveu a escolha de uma empresa caça-talentos, os executivos selecionados aceitem ofertas de bancos concorrentes.

À reportagem Marun reconheceu que há pleitos de mudança, mas que os atuais vice-presidentes estão fazendo trabalhos satisfatórios e que substituições não são uma necessidade tão urgente.

Após a Folha de S.Paulo publicar em seu site reportagem sobre a decisão de Temer, a Secretaria de Comunicação da Presidência negou nesta quarta (24) conversas com emissários de Bolsonaro e pressão para congelar as nomeações de postos-chave na Caixa.

Em nota, o órgão sustentou que o processo de seleção "será mantido e concluído, administrativamente, no tempo correto e sem interferências externas". Porém, não precisou quando os cargos serão preenchidos.

O comunicado não menciona as agências reguladoras. Temer indicou recentemente o novo presidente da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e diretores da ANS (Agência Nacional de Saúde), da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e da nova agência de mineração, a ANM. O plano dele era nomear indicados de seu partido, ao todo, para 16 postos de comando em agências.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Vereadores de oposição travam votações de importantes projetos ao município de Gilbués


A Câmara Municipal exerce, principalmente, funções legislativas e fiscalizadoras, participando da elaboração de leis sobre matérias de competência exclusiva do município e exercendo o controle da Administração local, principalmente quanto aos atos e as contas do Poder Executivo do Município.

Possui, ainda, função administrativa, a qual restringe-se à sua organização interna, e função judiciária, processando e julgando o Prefeito e os Vereadores, cuja pena é a perda do mandato.

No município de Gilbués a Câmara Municipal  está inutilizada com relação a sua função de legislar, importantes projetos enviados à casa pelo executivo estão travados. Divergências políticas tem prejudicado o desenvolvimento do município, uma situação inadimissível de representantes que foram eleitos pelo povo para lutarem em prol da melhoria da qualidade de vida de todos gilbueenses.

Por incrível que pareça os projetos que são votados tem sido desfavoráveis ao município, um exemplo foi a reprovação (vereador Henrique Guerra - contra, Marino Júnior - contra, João Dias - contra, Dimas Medeiros - favorável, Iara de Sousa - favorável, Morvan Figueredo - favorável, Claudison Leite - favorável e Erivan Martins (Jóia) - favorável),seria necessário seis votos favoráveis para a aprovação do Projeto de Lei nº 160/2018 Licença Ambiental, que seria um dos itens para  adesão do município ao ICMS Ecológico, que estabelece a criação do imposto para beneficiar municípios que se destaquem na proteção ao meio ambiente.

Entre os projetos que estão engavetados estão o Projeto de Lei Nº 159/2018, que dispõe sobre o Programa "GILBUÉS MINHA TERRA",(entrada na Câmara 21.08.2018), que regulamenta os instrumentos de Regularização Fundiária no município e dá outras providências. A prefeitura não está emitindo nenhum  documento de lotes, ou seja o cidadão está impedido de regularizar o imóvel onde mora, por causa da não votação dessa importante lei, atrasando sobremaneira o desenvolvimento da cidade. Outro projeto engavetado é o da criação da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (entrada na Câmara 10.04.2018). O Projeto de Lei Nº 161 referente a LOA 2018 (entrada na Câmara 30.09.2018) também está parado.

É de fundamental importância que os nobres vereadores, representantes do povo e eleitos para defenderem os interesses legítimos e inadiáveis da população, coloquem o desenvolvimento do município como prioridade máxima e deixem de lado as divergências político-partidárias e ideológicas, que são extremamente prejudiciais ao povo gilbueense.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Piauí reduz em 14,6% o número de leitos de internação no interior em 10 anos


Um levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) junto ao Ministério da Saúde revelou que o Brasil perdeu mais de 23 mil leitos hospitalares ao longo da última década. Isto representa uma média de seis camas para internação de pacientes desativadas por dia no país e no interior do Piauí a situação não é tão diferente.
Em 2008, o Piauí possuía 4.927 leitos hospitalares nos municípios do interior e em 2018 este número caiu para 4.246. A redução da quantidade de leitos do SUS (Sistema Único de Saúde) ao longo dos dez anos no interior piauiense foi de 14,60%. Este dado coloca o Piauí como o segundo Estado do Nordeste que mais perdeu leitos hospitalares na última década. O primeiro lugar é ocupado pelo Estado da Paraíba, que reduziu o número de leitos em 21,41%.
Apesar da redução no interior, em Teresina o que se observou foi o movimento contrário: em dez anos, a Capital piauiense aumentou em 5,27% o número de leitos hospitalares: em 2008, eram 2.276 leitos disponíveis e em 2018 este número subiu para 2.396. Na Região Nordeste, Teresina e São Luís são as duas primeiras capitais que mais aumentaram a quantidade de leitos disponíveis, mas mesmo sendo este um saldo positivo, o número de leitos a mais em Teresina ainda considerado insuficiente para compensar a perda nos demais municípios do Piauí.
O resultado global do levantamento da CNM mostra que, em 2008, o Piauí tinha uma taxa de 2,60 leitos para cada grupo de cem mil habitantes, enquanto que em 2018, esta taxa caiu para 2,36 leitos para cada grupo de cem mil pessoas. 
Mesmo com a redução, que é considerada preocupante pela Confederação e pelo Ministério da Saúde, o Piauí é o único estado brasileiro a apresentar cobertura total na Atenção Básica à Saúde em 2018. Isto significa dizer que toda a população piauiense possui acesso à atenção primária na detecção e tratamento de doenças pelo SUS. O Piauí fica na frente de estados como São Paulo e do Distrito Federal, que estão entre os mais populosos do Brasil e apresentam taxas de cobertura da Atenção Básica de 60% e 61%, respectivamente.
Deficiências
O relatório da CNM destaca que o tempo de criação do Sistema Único de Saúde (SUS), que possui apenas 30 anos de criação e significou um rearranjo no Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps), para comtemplar a totalidade da população com acesso à integralidade da atenção à saúde.
Um dos problemas mais debatidos entre os gestores atualmente refere-se aos incentivos destinados ao SUS. O atual financiamento do sistema, que atende a mais de 200 milhões de pessoas, é considerado insuficiente. De acordo com o Relatório de Execução Orçamentária da CNM, nos últimos cinco anos, as despesas liquidadas da União com Assistências Hospitalar e Ambulatorial correspondem, em média a 44% do total do setor da Saúde.
Entre os serviços contemplados nesta política encontram-se os leitos hospitalares, classificados em clínicos (leito de internação hospitalar destinado a acomodar pacientes de qualquer especialidade clínica), cirúrgico (leito de internação destinado a acomodar pacientes de qualquer especialidade cirúrgica), obstetrício (destinado a acomodar as gestantes e puérperas para atendimento assistencial clínico e/ou cirúrgico), leito hospital-dia (destinado ao atendimento de paciente adulto ou pediátrico na unidade por até 12 horas) e pediátrico (destinado a acomodar pacientes menores de 15 anos).
Aqui no Piauí, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), não houve fechamento de leito hospitalar ao longo dos últimos quatro anos. Em conversa com o Portal O Dia, o diretor de descentralização hospitalar do órgão, Dr. Neris Júnior, o que o Estado tem feito é a requalificação dos leitos já existentes, transformando leitos de internação clínica em leitos de UTIs, por exemplo.
Ele cita a abertura de leitos de Unidades de Terapia Intensiva nos hospitais de Picos, Piripiri, em Teresina e em Parnaíba. “Estes novos serviços têm um período de tempo para serem credenciados pelo Ministério da Saúde para que comecem a funcionar e receber recursos. Implantamos, por exemplo, a UTI de Picos no final de outubro do ano passado e ainda estamos aguardando a autorização do Ministério para os leitos que lá foram abertos. O Hospital de Buriti dos Lopes também é outro que foi aberto no final do ano passado com 20 leitos, mas que está esperando autorização”, explica.
De acordo com a Sesapi, o Piauí abriu, nos últimos quatro anos, 57 leitos de UTI adulto e infantil em todo o Estado.

Fonte: Portal O Dia

Bolsonaro diz que vai ajudar o Piauí e combaterá política do "coitadismo"


O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, garantiu em entrevista exclusiva à TV Cidade Verde que combaterá a política do "coitadismo", falou sobre a polêmica do WhatsApp e destacou projetos para o Piauí, caso seja eleito no próximo domingo, dia 28.  
A entrevista foi concedida do seu apartamento no Rio de Janeiro ao jornalista Joelson Giordani. Desde o atentado, o candidato do PSL suspendeu agenda de rua e de forma limitada recebe imprensa e autoridades políticas. 
Preconceito
Para Jair Bolsonaro, as políticas afirmativas que batizou de "coitadismo" reafirmam o preconceito.
"...estão se moldando o caráter. Tudo é coitadismo. Coitado do negro, coitado da mulher, coitado do gay, coitado do Nordestino, coitado do piauiense. Vamos acabar com isso", disse Bolsonaro em entrevista veiculada nesta terça-feira (23), no Jornal do Piauí. 
O candidato condenou também as políticas de cotas e disse que é uma maneira de dividir a sociedade.
"Não devemos ter classe social por questões de cor de pele, por opção sexual. Somos todos iguais perante a lei", disse.
O atentado
Bolsonaro contou na entrevista com o Joelson Giordani que o atentado mudou sua rotina de vida e comparou com a do juiz Sérgio Moro por não pode sair de casa livremente, mas considerou a missão uma "causa justa". 
Ele disse ainda que durante a campanha temia um ato de violência. "...Essa possibilidade já estava no nosso radar, um ato de violência, uma pedrada, mas não uma facada".
Polêmica WhatsApp
Bolsonaro atacou o jornal Folha de São Paulo e disse que é uma matéria "plantada" e negou as acusações de que sua campanha fez disparo em massa no WhatsApp contra o candidato do PT, Fernando Haddad. 
"Não tenho qualquer contato com empresário e nunca pedi para ninguém fazer isso", disse. Ele garantiu que nunca fez um impulsionamento anti-PT na sua rede social. 
"Para derrotar o PT não precisa de fake news. Você derrota o PT com verdades".
Relação com o governador Wellington Dias
O candidato negou que fará perseguição ao governador Wellington Dias (PT). 
"Não podemos prejudicar o povo do Piauí, qualquer estado que seja, porque tem um governador que não se alinhe ideologicamente  conosco. Vamos tratar todos os estados de forma republicana". 
Projetos para o Piauí
Na entrevista, o candidato garantiu que vai trabalhar para alavancar o Agronegócio no Piauí e levar segurança jurídica ao campo. Bolsonaro também se comprometeu em ajudar o turismo do estado e a construção do Porto.
Sobre o MST, o candidato deixou claro que vai trata-lo como ação de terrorismo.
"Ações do MST serão tipificadas como terrorismo. Esse pessoal não pode continuar levando terror ao campo e ficar imune em nome do movimento social".

Fonte: CidadeVerde

TJ bloqueia R$ 48 milhões das contas do Estado para pagar precatórios

desembargador Erivan Lopes 
O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ/PI), desembargador Erivan Lopes confirmou ao Cidadeverde.com que solicitou o bloqueio de R$ 48 milhões nas contas do governo do Estado. Segundo o magistrado, o recurso é referente ao pagamento de quatro meses de precatórios (dívidas judiciais), que representam 1,5% da receita mensal.
"Pedimos o bloqueio na última quinta-feira de onde o dinheiro estiver disponível. Notificamos o Governo do Estado e ouvimos o Ministério Público. O que o estado alega é que pela lei anterior o repasse deveria ser de 1% sobre a receita líquida, mas essa lei já foi alterada e a nova porcentagem é que vale", explica o desembargador.
Segundo Erivan, de acordo com a última emenda constitucional aprovada, esse valor subiu para 1,5% . "Eles alegam que essa lei deveria entrar em vigor a partir de 2019, mas já está valendo", pontua.
O desembargador acrescenta que o Estado questionou a decisão de acréscimo ao Supremo Tribunal Federal, mas até o momento  não houve decisão favorável. 
A quantia bloqueada se refere aos meses de junho, julho, agosto e setembro  nos valores de R$ 12 milhões para cada mês.  "O Estado reclamou ao supremo, mas enquanto o supremo não julgar eu tenho que cobrar. Ou o Estado paga, ou o STF determina qual o valor", concluiu.

Fonte: CidadeVerde

Senado aprova criação da Universidade do Gurgueia em Bom Jesus

Bom Jesus
O Senado Federal aprovou o Projeto de Lei nº 2.725/07, de autoria do então senador João Vicente Claudino, que autoriza o Executivo a criar a Universidade Federal do Vale do Gurgueia (UVG), com sede na cidade de Bom Jesus, no sul do Piauí.
Como a instituição será um desmembramento da Universidade Federal do Piauí (UFPI), a autorização abrange todos os atos necessários à implantação da nova universidade, inclusive a transferência de saldos orçamentários da UFPI.

Fonte: CidadeVerde

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Contrariando o governador, PSD do Piauí define apoio a Jair Bolsonaro

Júlio Cesar, deputado federal

O diretório do PSD no Piauí decidiu manifestar apoio à candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da República. A decisão contrária à orientação do governador Wellington Dias (PT), que pediu o apoio de todas as siglas da base aliada para o candidato do PT, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.
O apoio do PSD a Jair Bolsonaro faz parte das articulações do grupo ligado ao presidenciável que busca definir apoio na Câmara Federal. O PSD nacional liberou os diretórios, mas o presidente Gilberto Kassab já havia anunciado voto a Bolsonaro.
Segundo aliados, politicamento o deputado Júlio César Lima teria compreendido que a melhor estratégia é buscar uma aproximação de Bolsonaro. A vitória de Haddad já é vista como algo impossível. 
A decisão ocorreu depois que Júlio César Lima se reuniu com Gilberto Kassab. Não é só o PSD que não irá seguir a orientação do governador Wellington Dias. No MDB, o deputado eleito Marco Aurélio, filho do deputado Themístocles Filho, teria sido procurado pelo grupo ligado a Bolsonaro. 

Fonte: CidadeVerde

domingo, 21 de outubro de 2018

Sinserpim realiza grande festa de confraternização dos associados


O Sindicato dos servidores públicos municipais de Gilbués, Barreiras do Piauí e São Gonçalo do Gurgueia - SINSERPIM, realizou ontem (20), um grandioso evento de confraternização para os seus filiados no Ginásio Divina Pastora, comemorando o Dia do Professor e Servidor Público. Foi servido um jantar, bebidas, frutas, os servidores foram agraciados também com música ao vivo. Segundo o presidente do sindicato Arnon Santana, a intenção das festas de confraternização entre os servidores é aumentar a interatividade entre os mesmos e unir cada vez mais os servidores na busca por conquistas para a classe.











quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Polícia Civil prende suposto soldado do PCC no Piauí


A Polícia Civil, através das delegacias regionais de Bom Jesus e Canto do Buriti, efetuou, nesta quinta-feira (18), a prisão de Cícero Targino da Silva Leandro, de aproximadamente 35 anos. 
Cícero é considerado uma pessoa “muito perigosa” e, inclusive, é apontado como soldado matriculado na facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital (PCC). As informações são do delegado Regional de Bom Jesus, Aldely Fontinele. 
Cição, como é mais conhecido popularmente, é investigado por receptação, tráfico de drogas, assaltos a agências financeiras, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo, homicídio e tentativa de homicídio. O delegado revela, ainda, que informantes são unânimes em dizer que Cícero é soldado matriculado no PCC. 
De acordo com as investigações policiais, Cícero atualmente realizava traslado de drogas de Canto do Buriti para abastecer Bom Jesus.
“É uma pessoa extremamente perigosa. Estávamos inclusive com receio de haver conforto no momento da prisão. Há uns anos atrás quando a polícia tentou prendê-lo, ele efetuou um disparo na mão de um policial militar e fugiu”, destaca o delegado Aldely. 
O mandado de prisão preventiva foi expedido pelo Doutor Élvio Coutinho, Juiz da Comarca de Bom Jesus.
Cícero deve ser encaminhado ainda hoje à penitenciária de São Raimundo Nonato. 

Fonte: CidadeVerde

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Equatorial assume a Eletrobras Piauí e começa a operar no Estado


A Equatorial Energia assumiu hoje (17) a concessão para distribuir energia elétrica no Estado no lugar da Eletrobras distribuição Piauí. A empresa foi a vencedora do leilão realizado no dia 26 de julho e já obteve todas as autorizações necessárias para começar a operar o serviço no Estado. A previsão de investimento inicial da Equatorial no Estado é de R$ 720 milhões, que serão usados também para pagar parte das dívidas da Cepisa, que hoje acumula um débito de R$ 2,5 milhões.
De acordo com o presidente da Equatorial Energia, Augusto Miranda, um dos objetivos nesses primeiros anos é tornar a empresa economicamente viável, combatendo a inadimplência, reduzindo as perdas de energia (as ligações clandestinas ou “gatos”), além de planejar e executar medidas necessárias no processo de gestão, visando garantir investimentos para melhorias da energia e assim promover o desenvolvimento do Piauí.
A empresa passará por um processo de transição e as melhorias na qualidade de serviços. Segundo a Equatorial, os benefícios serão percebidos pelos consumidores ao longo dos próximos anos, sendo essa uma das principais metas da companhia.
"Uma das grandes metas nestes primeiros 180 dias, mesmo com toda dificuldade financeira, será trabalhar com intuito de reduzir a falta de energia e melhorar o prazo de retorno quando houver a falta. Acreditamos que assim conseguiremos ter uma melhoria na qualidade da energia para amenizar o calor nesta época do B-R-O-Bró", afirmou Nonato Castro, que assumiu o cargo de presidente da Equatorial Energia no Piauí.
Redução da tarifa e caixa
De acordo com o Augusto Miranda, a Equatorial Energia está assumindo a Eletrobras Piauí com indicadores negativos e com cobranças da sociedade por melhorias na qualidade do serviço. “Nós estamos pegando uma dívida de R$ 2,5 milhões e a geração de caixa da empresa dos últimos três anos tem sido negativa. Nosso esforço é fazer investimentos para a Eletrobras Piauí respirar e colocar dinheiro no caixa”, disse.  
Com relação à tarifa, o presidente da Equatorial pontuou que é a Aneel que indica se você vai ter reajuste. De acordo com ele, a empresa fica à mercê de um órgão regulador. “Precisamos dar um choque de gestão na empresa. Nós temos os modelos de gestão de meritocracia. Vamos ver quem é que realmente está afim de trocar esse jogo conosco nós vamos medir o esforço se cobrar resultados”, finalizou Augusto.
Insatisfação
Durante a coletiva da Equatorial, funcionários da Eletrobras Piauí se reuniram na porta da empresa com carro de som e cartazes em protesto. Eles alegavam que não há nenhuma segurança jurídica no fato de a empresa assumir distribuidora do Piauí, devido aos processos impetrados pela categoria contra a privatização, que tramitam na Justiça e que ainda não foram julgados.
Leilão
A Equatorial Energia foi a vencedora do leilão de privatização da Eletrobras Piauí acontecido em julho passado na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). O lance oferecido pela empresa teve um índice de deságio de 119 pontos. A Eletrobras Piauí foi vendida por R$ 50 mil, com capitalização de partida de R$ 720 milhões, valor este que deve ser investido pela Equatorial na distribuidora de energia do Estado.
A venda garantia também a redução de 8,52% na tarifa, mais o pagamento de R$ 95 milhões para a União. Vale destacar que a redução tarifária era o principal critério estabelecido pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que considerou vencedora a empresa que ofertasse o maior desconto na conta repassada ao consumidor.
A empresa
A Equatorial Energia é uma holdingde atua no setor elétrico brasileiro nos segmentos de distribuição, transmissão, geração de energia através de termoelétrica, e comercialização. A empresa é proprietária da Companhia Elétrica do Maranhão (CEMAR) e da Companhia Elétrica do Pará (CELPA).

Fonte: Portal O Dia

Bolsonaro diz que Elmano será representante do Piauí no planalto


O candidato a presidente pelo PSL, Jair Bolsonaro, recebeu a visita do senador Elmano Férrer (Podemos), oportunidade em que o parlamentar  piauiense declarou apoio ao concorrente de Fernando Haddad (PT). Elmano  ficou em 5º lugar na corrida pelo Palácio de Karnak, com 1,28% dos votos  válidos. Bolsonaro agradeceu o apoio e disse que o senador será um representante do Estado em seu governo, caso seja eleito.
"Se eu me eleger presidente, Brasília terá um representante do Piauí diretamente ligado ao Palácio do Planalto", diz na gravação.
Elmano disse que foi listado pela coordenação de campanha de Bolsonaro para visitá-lo. "Me surpreendeu o compromisso que ele assumiu em relação ao Piauí. Questão de direitos ele disse não vai tirar. Ele sabe dos problemas de desenvolvimento do Piauí e se comprometeu. Num governo dele o Piauí terá  considerações atendidas", declarou em entrevista à TV Cidade Verde.
O senador falou do problema da seca e de desenvolvimento regional com Bolsonaro. "Ele tem conhecimento sobre o estágio de desenvolvimento do Piauí. A preocupação maior dele é com as pessoas", disse Elmano, ressaltando que espera o Brasil em uma nova ordem.
"É uma pessoa que não é o que se pinta por aí. Ele é muito simples e conhece os problemas que são assacados contra ele. Ele vai estabelecer um novo Brasil. Ele representa a mudança", finalizou.

Fonte: CidadeVerde

domingo, 14 de outubro de 2018

Chuva volta a cair e refresca cidade de Gilbués


Depois de vários meses registrando temperaturas elevadíssimas beirando 44 graus, o gilbueense acordou neste domingo com uma abençoada chuva. Neste ano de 2018 a temperatura bateu recorde, o calor foi intenso. É tempo de dar início a preparação para o plantio.


sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Brasil fecha mês de setembro com 62,4 milhões de negativados


O volume de consumidores com contas em atraso segue elevado em todo o país, refletindo o quadro de dificuldades das famílias. No último mês de setembro aumentou em 3,9% a quantidade de novos inadimplentes na comparação com o mesmo período do ano passado. 
Os dados são da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito. Em número absoluto, estima-se que cerca de 62,4 milhões de brasileiros estejam com restrições ao CPF, o que representa 40,6% da população adulta acima de 18 anos.
Na comparação mensal a inadimplência apresentou ligeira queda. Na passagem de agosto para setembro, sem ajuste sazonal, quantidade de pessoas inadimplentes ficou praticamente estável, com variação de 0,1%. 
Faixa etária
O indicador revela que o aumento mais acentuado da inadimplência acontece entre a população mais velha. Na comparação entre setembro de 2018 e setembro do ano passado, houve um crescimento de 10% na quantidade de inadimplentes entre 65 e 84 anos. Em número absoluto, estima-se um total de 5,4 milhões de consumidores com o CPF restrito nessa faixa etária.
Considerando os brasileiros de 50 a 64 anos, a alta no número de negativados foi de 6,2%, com 12,9 milhões, e na população de 40 a 49 anos foi de 4,9%, com 14 milhões de inadimplentes.
Os dados apontam ainda que a maior parte dos inadimplentes (51,5%) permanece na faixa dos 30 aos 39 anos. São 17,7 milhões de pessoas que não conseguem honrar seus compromissos financeiros. Na população mais jovem, os números também são expressivos: 7,7 milhões de inadimplentes entre 25 a 29 anos e 4,4 milhões com contas atrasadas têm entre 18 e 24 anos.

Fonte: CidadeVerde

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Projeto voltado para primeiro emprego é beneficiado pelo FIA


Em um país em que o desemprego afeta 12,4% da população geral e 26,6% das pessoas na faixa etária de 18 a 24 anos, garantir que adolescentes conquistem o primeiro emprego é desafio a ser superado pelos governos, por meio de políticas públicas, pelos próprios jovens, que precisam se capacitar, e pelos empregadores, detentores das oportunidades. Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são desanimadores, mas há iniciativas espalhadas pelo Brasil que buscam contornar as estatísticas.
Em Três Corações (MG), o Programa Oportunidade Jovem está em sua quarta edição e já proporcionou melhores expectativas para 360 alunos de 14 a 17 anos que receberam bolsas, formação em direitos humanos, cidadania e qualificação profissional, além de um estágio em empresas privadas e na administração municipal. O projeto nasceu custeado pela própria prefeitura, mas, por meio do Fundo da Infância e Adolescência (FIA) e de editais de instituições financeiras, conseguiu recursos para se manter e ampliar o número de vagas.
Tres coracoes MG 2A última seleção teve 311 inscritos para 120 oportunidades e os critérios consideram a vulnerabilidade social e comprometimento, conforme explica o secretário executivo dos Conselhos Municipais, Diego Henrique dos Santos. Os selecionados recebem bolsa no valor de R$ 300,00, cesta básica, lanche e transporte e, após as aulas teóricas, eles são encaminhados a estágios em 43 empresas conveniadas ou em instituições públicas.
“Os alunos são usuários dos Centros de Referência de Assistência Social (CRASs) e de Convivência do Município. A intenção é capacitar o adolescente e o jovem para o mercado de trabalho, como se comportar na primeira entrevista e no emprego, noções de informática. E o interessante é que muitos são contratados ao final para continuarem como menor aprendiz”, comemora.
Potencial
Apesar do êxito do Oportunidade Jovem e do programa ter sido classificado pelo Ministério do Desenvolvimento Social como um dos 50 melhores projetos sociais do país, Diego dos Santos acredita em um potencial maior para o FIA e para outras ações e parcerias. Desde 2013, quando assumiu a secretaria, ele vem tentando, com os gestores municipais e a população local, chamar atenção para o Fundo.
Tres Coracoes MG 3“É um trabalho de formiguinha, intensificamos a campanha e, no ano passado, fomos nas contabilidades falar com os contadores, panfletar nos comércios e empresas, e vemos um resultado positivo, mas ainda muito pequeno. A médio e longo prazo, vamos conseguir”, afirma. Neste ano, o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Três Corações recebeu 62 doações de pessoas físicas pelo Programa Gerador da Declaração de Imposto de Renda. Foram R$ 52.149,78, valor muito abaixo do potencial de arrecadação, que chega a R$ 924.650,04 pelos 3% e R$ 1.849.300,08 pelos 6%.
Na última semana para os Municípios regularizarem a situação cadastral de seus Fundos com na Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA/MDH), a Confederação Nacional de Municípios (CNM) lançou campanha para alertar os gestores e sensibilizar a comunidade para o uso de recursos do IR em ações e programas sociais que beneficiam crianças e adolescentes. Ferramenta disponível no hotsite possibilita conhecer a situação do Fundo e o potencial de arrecadação.
Por: Amanda Maia 
Foto: Secretaria de Desenvolvimento Social de Três Corações/Divulgação
Da Agência CNM de Notícias 

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Sem atingirem a cláusula de barreira, 14 partidos podem ser extintos


Pelas regras do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 14 partidos - dos 35 existentes - não teriam alcançado a cláusula de barreira no país. Legendas como PCdoB, Patriotas, PHS, PRP, PMN, PTC, Rede, PPL, DC, PRTB, PMB, PCB, PSTU e PCO correm o risco de desaparecer. 
A cláusula de barreira é uma norma que impede ou restringe o funcionamento parlamentar ao partido que não alcançar determinado percentual de votos. Sem representação na Câmara Federal, essas legendas não irão receber recursos do fundo partidário e terão dificuldades para conseguirem se manter. No Piauí, os presidentes e membros destas legendas buscam alternativas.
O fundo partidário é uma reserva financeira usada para o custeio dos partidos  políticos que soma neste ano R$ 888,7 milhões.
O presidente do PTC no Piauí, deputado Evaldo Gomes, afirma que o partido deve realizar a fusão com outras legendas. A direção nacional do partido estaria conversando com outras siglas como PHS e Patriotas.
“O caminho deve ser á fusão com outros partidos. Mas vamos esperar. Estamos tranquilos. Conversei com o nosso presidente. Vamos esperar", afirmou. Parlamentares do PTC já estariam sendo procurados por outras legendas.O deputado Fábio Xavier (PR) já convidou a deputada eleita do PTC pelo Piauí, Dr. Marina, para se filiar à sigla. 
No PCdoB, o partido busca uma maneira jurídica de tentar vencer a cláusula de barreira. O vereador Enzo Samuel afirma que as regras impostas pelo TSE não são claras. Segundo ele, a legenda vai resistir para se manter viva.
“O PCdoB resistiu à ditadura militar não vai ser derrotado pela cláusula de barreira. Somos osso duro de roer. As regras do TSE não são claras. Procuramos uma maneira jurídica de reagir a isso. O PCdoB não vai desistir”, disse.
No PHS, a vereadora Cida Santiago afirma que o partido ainda vai discutir o assunto. Ela afirma que espera uma posição da direção. “Não discutimos o assunto com a direção ainda. Não temos como saber o que vai acontecer agora. Vamos conversar com o nosso presidente para discutir o assunto”, afirmou. 
A cláusula de barreira obriga Para que os partidos alcancem 1,5% dos votos para a Câmara, distribuídos em 9 estados e com mínimo de 1% dos votos em cada um deles, ou, então, eleger ao menos 9 deputados em 9 estados. A projeção do TSE é que na próxima eleição o número de partidos afetados pela cláusula deva aumentar. Em 2020, a exigência deve ser de 2% dos votos e 11 deputados eleitos. 

Fonte: CidadeVerde