terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Cepisa lança PDV para servidores e diz que situação econômica é delicada


A Cepisa lançou nesta segunda-feira (10) um Programa de Demissão Voluntária (PDV) para os empregados efetivos. O objetivo é tornar a empresa economicamente sustentável. Segundo o presidente, Nonato Castro, a Cepisa se encontra em uma situação econômica delicada, com dívidas elevadas acumuladas ao longo dos anos. 
“O Programa de Demissão Voluntária é uma forma de oportunizar aos profissionais que, por anos, desempenharam serviços na Cepisa e, hoje, demonstram interesse em realizar uma transição de carreira ou mesmo de encerrar um ciclo de trabalho, como pude perceber durante as conversas com colaboradores da capital e do interior”, fundamenta Castro.
Dos 2.007 funcionários, podem aderir todos os colaboradores efetivos.
De acordo com a Cepisa, a dívida acumulada é de R$ 2,5 bilhões e déficit de R$ 200 milhões na comparação com o limite máximo para as despesas operacionais com pessoal, material, serviços, demais despesas e provisões, estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
A Equatorial, controladora da Cepisa, disse que o colaborador que aderir ao PDV terá direito de receber todas as verbas rescisórias legais previstas na modalidade de “Demissão Sem Justa Causa”, que são: aviso prévio indenizado, férias vencidas e proporcionais, gratificação de férias, 13º salário proporcional, multa rescisória de 40% do FGTS e saldo de salários, bem como poderá sacar o seu saldo de FGTS junto à Caixa Econômica. A cada ano completo de trabalho, o colaborador tem direito a um adicional de 3 dias de aviso prévio, sendo este limitado a 90 dias.

Presidente da Cepisa, Nonato Castro. Foto: Cidadeverde.com
Ainda de acordo com a empresa, adicionalmente o colaborador receberá uma indenização financeira de 15% do salário base, por cada ano completo de serviço, limitada a 5 salários base.

Fonte: CidadeVerde